Repositório Digital

A- A A+

O desenvolvimento sustentável e as teorias da firma : dois mundos diferentes?

.

O desenvolvimento sustentável e as teorias da firma : dois mundos diferentes?

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título O desenvolvimento sustentável e as teorias da firma : dois mundos diferentes?
Autor Marconatto, Diego Antonio Bittencourt
Pedrozo, Eugenio Avila
Resumo Cada uma das teorias da firma existentes é fundada sobre pressupostos próprios a partir dos quais são desdobradas visões estratégicas específicas para as organizações. Se esses drivers estratégicos não forem compatíveis com a natureza do desenvolvimento sustentável, a criação de políticas para a sustentabilidade pode ser comprometida em sua própria origem. Partindo desta constatação, este ensaio teórico analisa a compatibilidade de cinco teorias da firma consolidadas na literatura econômica e estratégica com os pressupostos do desenvolvimento sustentável. Assim sendo, este ensaio teórico inicialmente expõe e discute as cinco principais características do desenvolvimento sustentável, as quais, em conjunto, demandam sete características e competências específicas das organizações. As cinco teorias da firma são então analisadas à luz destes sete elementos. Os resultados mostram em ordem crescente a compatibilidade destas teorias da firma com o desenvolvimento sustentável: firma de Bain, firma neoclássica, ECT, firma schumpeteriana e RBV – analisada em conjunto com a KBV e a teoria cognitiva da firma. Ao mostrar as compatibilidades e incompatibilidades, este trabalho joga luz sobre os corpos teóricos oriundos daquelas teorias da firma enquanto capazes de unir os objetivos econômicos, com metas sociais e ambientais configuradas através da lógica da sustentabilidade. Essas constatações podem auxiliar no avanço teórico para a criação de uma “teoria da firma sustentável”.
Abstract Each one of the existent theories of the firm is built upon its own fundamental assumptions from which specific strategic views are derived for the organizations. In the case of these drivers not being compatible with the very nature of sustainable development, the creation of policies for a sustainable world can be jeopardized since their beginning. Taking this issue as a starting point, in this theoretical paper we analyze the fitness between each one of the five theories of the firm consolidated in the strategic and economic literature and the underlying assumptions of the sustainable development. Thus, we begin this work by exposing the sustainable development’s five key characteristics which altogether, demand seven specific competences from the organizations. After, the five theories of the firm are analyzed face to these same characteristics and competences. Our theoretical analyses indicate that, in ascending order, the most sustainable developmentcompatible theories of the firm are: Bain’s firm, neoclassic firm, TCE, Schumpeter’s firm and, finally, RBV – which is viewed along with the knowledge theory of the firm and the cognitive theory of the firm. We believe that by showing the compatibilities and incompatibilities of these theories with the sustainable development, we shed light over the potential capability of these firms in embrace, at the same time, economic, social and environmental objectives. These conclusions may help in the theoretical advancement of a “sustainable theory of the firm”.
Contido em Gestão Contemporânea [recurso eletrônico]. Porto Alegre. N. 17, (jan./jun. 2015), p. 82-103
Assunto Desenvolvimento sustentável
Teoria da firma
[en] Sustainable development
[en] Theories of the firm
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/142278
Arquivos Descrição Formato
000988466.pdf (149.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.