Repositório Digital

A- A A+

Parasitismo de Diachasmimorpha longicaudata (Asmead) (Hymenoptera: Braconidae) em Anastrepha fraterculus (Wiedemann) e Ceratitis capitata (Wiedemann) (Diptera:tephritidae) : resposta funcional, superparasitismo e preferência

.

Parasitismo de Diachasmimorpha longicaudata (Asmead) (Hymenoptera: Braconidae) em Anastrepha fraterculus (Wiedemann) e Ceratitis capitata (Wiedemann) (Diptera:tephritidae) : resposta funcional, superparasitismo e preferência

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Parasitismo de Diachasmimorpha longicaudata (Asmead) (Hymenoptera: Braconidae) em Anastrepha fraterculus (Wiedemann) e Ceratitis capitata (Wiedemann) (Diptera:tephritidae) : resposta funcional, superparasitismo e preferência
Outro título Parasitism of Diachasmimorpha longicaudata (Ashmead) (Hymenoptera: Braconidae) in Anastrepha fraterculus (Wiedemann) and Ceratitis capitata (Wiedemann) (Diptera: Tephritidae) : functional response, superparasitism and preference
Autor Altafini, Deisi Luizelli
Orientador Redaelli, Luiza Rodrigues
Co-orientador Jahnke, Simone Mundstock
Data 2012
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Agronomia. Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia.
Assunto Entomologia agricola
Parasitismo
Resumo Anastrepha fraterculus (Wied.) e Ceratitis capitata (Wied.) estão entre as principais pragas da fruticultura no Brasil. O controle biológico é uma alternativa ao químico e Diachasmimorpha longicaudata (Ashmead) é o braconídeo mais utilizado em programas de controle biológico clássico de moscas-das-frutas no mundo. O objetivo deste trabalho foi avaliar o parasitismo de D. longicaudata em A. fraterculus e C. capitata, envolvendo a resposta funcional, o superparasitismo e a preferência por hospedeiro. Os insetos utilizados foram oriundos de criações mantidas em câmara climatizada (25 ± 2 °C, 65 ± 10% UR e 14 h de fotofase). Nos bioensaios de resposta funcional, foram oferecidas a uma fêmea do parasitoide 1, 3, 5, 10, 25, 35 ou 55 larvas hospedeiras. De modo geral, o número médio de larvas parasitadas aumentou, enquanto as taxas de parasitismo decresceram, conforme as densidades de ambos os hospedeiros se elevavam. A maior porcentagem de larvas parasitadas ocorreu na densidade de três larvas tanto em C. capitata (23,3%) quanto em A. fraterculus (55%). O teste de ajuste dos resultados ao modelo randômico evidenciou resposta funcional tipo III. No experimento de superparasitismo, foram avaliados o número de marcas de oviposição e o de larvas do parasitoide no interior de pupários das duas espécies hospedeiras, nas razões 4:1, 2:1, 1:1, 1:2 e 1:4 de parasitoide/hospedeiro. Para ambas as espécies de tefritídeos houve maior número de larvas nos pupários nas razões 4:1 e 2:1, onde havia menor densidade de larvas por fêmea de parasitoide (P < 0,0001). A preferência foi avaliada oferecendo-se dez larvas de terceiro instar de cada espécie hospedeira, em conjunto, a uma fêmea do parasitoide, com origem em C. capitata ou A. fraterculus. A proporção de parasitoides emergidos de larvas de A. fraterculus, parasitadas por fêmeas com origem neste mesmo hospedeiro foi maior que nos demais grupos (P = 0,0086). Os resultados fornecem subsídios importantes para a condução de criações com vistas à liberação de D. longicaudata.
Abstract Anastrepha fraterculus (Wied.) and Ceratitis capitata (Wied.) are major pests of fruit trees in Brazil. Biological control is an alternative to the chemical control and Diachasmimorpha longicaudata (Ashmead) is the most used braconid in classical biological control of fruit flies in the world. We aimed to compare parasitism of D. longicaudata in A. fraterculus and C. capitata, analyzing aspects as functional response, superparasitism and host preference. The insects were reared at 25 ± 2 °C, 65 ± 10% RH and 14 h photophase. Functional response was evaluated by offering to a female parasitoid 1, 3, 5, 10, 25, 35 or 55 third instar host larvae. Generally, the mean number of parasitized larvae increased and the rates of parasitism decreased as the densities increased in both hosts. The highest percentage of parasitized larvae was obtained with a density of three larvae in both C. capitata (23.3%) and A. fraterculus (55%). The functional response fitted a type III model. With regard to superparasitism, we assessed the number of oviposition scars and parasitoid larvae inside pupae of both hosts, in the ratios 4:1, 2:1, 1:1, 1:2 and 1:4 of parasitoid/host. In both tephritids, more larvae were obtained in the ratios 4:1 and 2:1, which had lower density of larvae per female parasitoid (P < 0.0001). The preference was evaluated by offering together ten third instar larvae of each host species, to parasitoids reared in C. capitata and A. fraterculus. The highest proportion of parasitoids emerged from larvae of A. fraterculus parasitized by females from this same host (P = 0.0086). The results provide important support for rearings and releases of D. longicaudata.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/142732
Arquivos Descrição Formato
000867391.pdf (1.690Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.