Repositório Digital

A- A A+

Occurrence of ochratoxin A in grapes, juices and wines and risk assessment related to this mycotoxin exposure

.

Occurrence of ochratoxin A in grapes, juices and wines and risk assessment related to this mycotoxin exposure

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Occurrence of ochratoxin A in grapes, juices and wines and risk assessment related to this mycotoxin exposure
Outro título Ocorrência de ocratoxina A em uvas, sucos e vinhos e avaliação de risco relacionada à exposição a essa micotoxina
Autor Dachery, Bruna
Manfroi, Vitor
Berleze, Kally Janaina
Welke, Juliane Elisa
Abstract Ochratoxin A (OTA) is a mycotoxin with nephrotoxic, genotoxic, teratogenic and carcinogenic properties. The presence of this toxin in wines and juices occurs due to the development of toxigenic fungi in grapes. Studies have shown the presence of this toxic secondary metabolite in these beverages may results in economic losses to the winery as well as health problems for consumers. In Europe, several studies have been done in order to map the areas where the development of ochratoxigenic fungi is more favorable. However, in Brazil these studies are still incipient. The Joint Expert Committee on Food Additives of the World Health Organization (JECFA) established the safe tolerable intake of 112ng OTA per kg of body weight per week. To verify whether the population is exposed to OTA levels that pose a risk to health is necessary to compare the parameter of safe ingestion defined by JECFA with the levels of exposure to this toxin. Periodic monitoring of the OTA levels in food and beverage has been justified by some reasons including: (i) the toxic effects of this toxin, (ii) the recent publication of the Brazilian legislation establishing maximum limit for OTA, (iii) the introduction of grape juice in school meals and (iv) the recommendation of regular wine intake because of their functional properties.
Resumo A ocratoxina A (OTA) é uma micotoxina que possui propriedades nefrotóxicas, genotóxicas, teratogênicas e carcinogênicas. A presença dessa toxina em vinhos e sucos ocorre devido à contaminação das uvas por fungos toxigênicos. Estudos têm mostrado a presença desse metabólito secundário tóxico nestas bebidas, o que pode significar perdas econômicas ao setor vitícola, bem como problemas à saúde dos consumidores. Na Europa, vários estudos têm sido realizados com o objetivo de mapear as áreas em que o desenvolvimento de fungos ocratoxigênicos é mais favorável. Entretanto, no Brasil estes estudos ainda são incipientes. O Comitê de Especialistas em Aditivos Alimentares da Organização Mundial da Saúde (JECFA) estabeleceu a ingestão tolerável segura de 112ng de OTA por quilo de peso corpóreo por semana. Para verificar se população está exposta a OTA em níveis que representam risco para à saúde, é necessário comparar o parâmetro de ingestão segura, definido pelo JECFA, com os níveis de exposição a esta toxina. O monitoramento periódico dos níveis de OTA em alimentos e bebidas é justificado por alguns motivos que incluem: (i) os efeitos tóxicos dessa toxina, (ii) a publicação recente da legislação brasileira que estabelece limite máximo para OTA, (iii) a introdução do suco de uva na merenda escolar; e (iv) a recomendação da ingestão regular de vinho/suco de uva devido as suas propriedades funcionais.
Contido em Ciência rural. Santa Maria. Vol. 46, n.1 (jan. 2016), p. 176-183
Assunto Micotoxina
Ocratoxina A
Suco de fruta
Uva
Vinho
[en] Mycotoxins
[en] Risk assessment
[en] Toxic compounds
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/147428
Arquivos Descrição Formato
000994475.pdf (317.8Kb) Texto completo (inglês) Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.