Repositório Digital

A- A A+

Posições de sujeito usuário/a de substâncias psicoativas na política de redução de danos : uma análise cultural

.

Posições de sujeito usuário/a de substâncias psicoativas na política de redução de danos : uma análise cultural

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Posições de sujeito usuário/a de substâncias psicoativas na política de redução de danos : uma análise cultural
Autor Silva, Mabel Dias Jansen da
Orientador Meyer, Dagmar Elisabeth Estermann
Co-orientador Silva, Jeane Félix da
Data 2016
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação.
Assunto Gênero
Pós-estruturalismo
[en] Genre
[en] Harm reduction policy
[en] Places of subject/user of SPA
[en] Post-structuralism
Resumo Esta dissertação inscreve-se nos campos dos Estudos de Gênero e Culturais, em uma aproximação com a perspectiva pós-estruturalista de análise; investiga as posições de sujeito usuário/a de substâncias psicoativas e os atravessamentos de gênero (re)produzidos no âmbito da Política de Redução de Danos. A Política de RD está preocupada em reconhecer as escolhas dos/as usuários/as de substâncias psicoativas (SPA) que demandam algum tipo de cuidado e, desse modo, alcançar a esfera do direito à saúde, à cidadania e aos direitos humanos. O material empírico é composto pelos documentos normativos da política e seus desdobramentos. Para o exame do corpus de investigação, foi utilizada a análise cultural, em combinação com a pesquisa documental, operando com os conceitos de posição de sujeito, norma, poder e gênero. Os documentos da política e seus desdobramentos foram tomados como artefatos culturais e pedagógicos que (re)produzem e veiculam discursos biomédicos, psicológicos, morais e jurídicos implicados com a produção de sujeitos e de práticas de cuidado no campo da saúde mental voltada para o uso de SPA. A análise permitiu descrever, discutir e problematizar os sentidos de termos como usuário, dependente, droga, substância, autonomia, dentre outros utilizados de forma naturalizada na política; com esse movimento analítico, foi possível explorar sua multiplicidade, conflitualidade e historicidade. As análises empreendidas contribuem para que sejam desnaturalizadas determinadas noções tão presentes nas formulações de propostas para o cuidado desses usuários/as. A (in)definição de termos discutidos permitiu visualizar a aparente sobreposição de sentidos de alguns termos como usuário/dependente para explorar distinções entre eles; também algumas relações lineares, como uso/consumo = dependência, que podem levar o indivíduo a evitar a aproximação com serviços de saúde como o CAPS mesmo quando deles precisa, com receio de ser nomeado como um/uma dependente, uma vez que essa nomeação produz diferentes efeitos em sua vida. Do ponto de vista do gênero, parece haver algumas pistas na (in)definição desses termos, mostrando que, em alguma medida, não se contemplam distinções produzidas pelo gênero, talvez porque haja ainda uma dificuldade em associar a mulher ao uso/abuso de SPA, embora os estudos mostrem o uso crescente destas entre as mulheres. Assim, um olhar sensível às abordagens de gênero na política permitiu ir "encontrando" pistas em relação à naturalização da relação entre uso de SPA e masculinidade e de uma feminilidade que não se droga. Nesse sentido, a pesquisa intentou desnaturalizar e mostrar alguns silenciamentos nas representações de feminino/masculino ainda ativas na cultura que contribuem para dificultar o dimensionamento de uma demanda de cuidado.
Abstract This dissertation is inserted in the field of Gender and Cultural Studies, approaching the poststructuralist perspective of analysis. It investigates the places of the subject/user of psychoactive substances and gender crossings (re)produced under the National Policy of Harm Reduction, a public policy concerned in recognizing the choices of the users of psychoactive substances (PAS) who require some sort of care, so reaching the boundaries of health protection and social citizenship and social rights. The empirical material consists of normative documents of the policy and its consequences. Cultural analysis, in combination with documentary research, was used for data analysis, considering the concepts of subject position, rule, power and gender. The policy documents and its consequences were taken as cultural and educational artifacts that (re)produce and convey biomedical, psychological, moral and juridical discourses involved in the production of subjects and care practices in the field of mental health addressed to the use of PAS. The analysis allowed to describe, debate and discuss the meanings of terms such as user, addicted, drug, substance, autonomy, among others used in a naturalized way in the policy, whose multiplicity, conflictuality and historicity was explored from this analytical movement. The undertaken analyses contribute to denaturalize certain notions usually used in the texts of the care proposals for those users. The (in)definition of discussed terms allowed to perceive the apparent meaning overlaps of some terms such as user/addicted to explore distinctions between them; it was also possible observe some linear relations, such as use/consumption = addiction, which can lead the individual to avoid looking for healthcare services, such as the Centers of Psychosocial Care (CAPS), even when he/she needs those services, fearing being named as addicted, since this nomination causes different effects in his/her life. From the gender point of view, there seem to be some clues in the (in)definition of these terms, showing that, to some extent, distinctions produced by the genre are not considered, perhaps because there are still some difficulties in associating the woman to the use/abuse of PAS, although some studies show increasing use among women. Thus, a sensitive reading to gender approaches in the policy allowed to go "finding" clues regarding the naturalization of the relationship between the use of PAS and masculinity, and regarding a femininity that is not addicted. In this sense, this research intended denaturalize this relationship and show some silences regarding the female/male representations still active in the culture that contribute to hinder the design of a care demand.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/148287
Arquivos Descrição Formato
001002483.pdf (1.598Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.