Repositório Digital

A- A A+

Veias abertas na produção em pesquisa

.

Veias abertas na produção em pesquisa

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Veias abertas na produção em pesquisa
Outro título Open Veins in Research Production
Outro título Las venas abiertas de la producción en investigación
Autor Reis, Carolina dos
Guareschi, Neuza Maria de Fátima
Resumo Compreendendo a escrita como um processo de produção de si, o presente texto parte de discussões em torno do escrever com como um dispositivo de interrogação sobre a forma como temos construído nossas políticas de pesquisas. Por meio da trajetória de trabalho do Núcleo de Estudos em Políticas e Tecnologias Contemporâneas de Subjetivação, colocamos em análise a maneira como a fidelização a certos campos conceituais pode produzir estabilizações nas teorias, bem como nos modos de operar com elas, tornando-as instrumentos de aplicação e não combustível para pensar diferentemente do que pensávamos e escrever diferentemente do que escrevíamos. Por fim, trazemos alguns caminhos que vêm sendo trilhados rumo a uma política de pesquisa que compreende esta como experiência de vida, impulsionada pelo estranhamento do encontro com a diferença e pela disposição de tornarmo-nos outros a partir de nosso envolvimento corporal em nossas pesquisas.
Abstract By understanding writing as a process of production of the self, this paper considers writing with as a dispositif of inquiry which scrutinizes how we construct our research policies. Following the trajectory of work produced by the Center for Studies of Con-temporary Subjectivation Policies and Technologies, we analyze how constant reliance on certain conceptual fields can induce an unproductive stagnation in theories and work-ing methods associated with them thus turning them into applications rather than in-citement or provocation to think and write originally and inventively. Finally, we delineate paths that have been taken towards drafting policy that regards research as a life experience driven by the estrangement of contact with difference and the inclination to become-other as a result of our bodily involvement in research.
Resumen Comprendemos la escrita como un proceso de producción de si mismo, el presente texto parte de las discusiones al rededor del escribir con, como un dispositivo de interroga-ción sobre el modo como tenemos construido nuestras políticas de investigación. Por medio de la trayectoria de trabajo del Núcleo de Estudios en Políticas y Tecnologías Contemporáneas de Subjetivación, colocamos en análisis el modo como la fidelización a determinados campos conceptuales puede producir estabilizaciones en las teorías, bien como en las maneras de operar con ellas, las tornando instrumentos de aplicación y no combustibles para pensar diferentemente de lo que pensábamos y escribir diferentemen-te de lo que escribíamos. Por final, traemos algunos caminos que vienen siendo trilla-dos que apuntan para una política de investigación que comprende esa como experiencia de vida, impulsada por el extrañamiento del encuentro con la diferencia y por la dispo-sición de tornarnos otros a partir del nuestro envolvimiento corporal en nuestras investi-gaciones.
Contido em Revista Polis e Psique. Porto Alegre, RS. Vol. 6, n. 1 (2016), p. 124-135.
Assunto Ética em pesquisa
Pesquisa em psicologia
[en] Foucauldian Studies
[en] Research Ethics
[en] Research into Psychology
[en] Research Policies
[es] Estudios Foucualtianos
[es] Ética en Inves-tigación
[es] Investigación en Psicología
[es] Políticas de Investigación
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/164993
Arquivos Descrição Formato
001026973.pdf (215.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.