Repositório Digital

A- A A+

Interleucina-6 na endometriose : concentrações no fluído peritoneal e expressão proteica no tecido endometrial

.

Interleucina-6 na endometriose : concentrações no fluído peritoneal e expressão proteica no tecido endometrial

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Interleucina-6 na endometriose : concentrações no fluído peritoneal e expressão proteica no tecido endometrial
Autor Ortiz, Karine Silveira
Orientador Morsch, Debora Martinho
Co-orientador Spritzer, Poli Mara
Data 2017
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas: Endocrinologia.
Assunto Endometriose
Interleucina-6
Líquido ascítico
[en] Endometrial tissue
[en] Endometriosis
[en] Interleukin-6
[en] Peritoneal fluid
Resumo A endometriose é uma doença ginecológica crônica que afeta pelo menos 10% das mulheres em idade reprodutiva. É caracterizada pelo crescimento de tecido endometrial fora da cavidade uterina. Embora sua etiologia permaneça controversa, estudos propõem que alterações imunológicas e inflamatórias estão correlacionadas com a causa da endometriose e podem contribuir para o crescimento e sobrevida de implantes ectópicos. Como parte integrante desse processo, um microambiente peritoneal anormal pode ser constituído por níveis aumentados de células imunológicas. Dentre estas, a elevação de citocinas pró-inflamatórias no ambiente peritoneal e sistêmico participariam desse processo. Citocinas incluindo a interleucina-6 (IL-6), uma glicoproteína com atuação na resposta imune e considerada como um marcador de inflamação tem sido proposta na patogênese da endometriose. Recentemente, demonstramos que as concentrações de IL-6 no fluído peritoneal (FP) apresentam-se elevadas em mulheres com endometriose em comparação com mulheres hígidas (Andrade et al., 2017, in press). No entanto, a fonte do aumento de IL-6 no FP ainda não foi totalmente elucidada e seu potencial envolvimento com a endometriose merece maior investigação. No presente estudo, avaliamos a expressão proteica de IL-6 no tecido endometrial e sua concentração no FP de mulheres com endometriose pélvica e comparamos com mulheres hígidas. Um total de 18 pacientes com endometriose e 12 mulheres com pelve normal foram incluídas neste estudo caso-controle. Foram realizadas avaliações clínicas e laboratoriais. Os níveis de IL-6 no FP e a expressão proteica no tecido endometrial foram determinados utilizando ensaio imunoenzimático (ELISA) e imuno-histoquímica respectivamente. A concentração de IL-6 no FP foi significativamente mais elevada no grupo endometriose em comparação com o grupo controle [48,2 (36,7 - 89,9) ng/ml versus 23,1 (11,8 - 35,3) ng/ml, P = 0,002]. A expressão proteica de IL-6 foi positiva na maior parte das amostras de ambos os grupos sendo significativamente mais intensa no tecido endometriótico em comparação com a expressão no endométrio de mulheres com pelve normal (P < 0,05). Os resultados do presente estudo sugerem que a fonte da IL6 no FP de pacientes com endometriose possa ser, pelo menos em parte, proveniente dos focos endometrióticos.
Abstract Endometriosis is a chronic gynecological disease that affects at least 10% of women of reproductive age. It is characterized by growth of endometrial tissue outside the uterine cavity. Although its etiology remains controversial, studies suggest that immunological and inflammatory changes are associated with endometriosis and may contribute to the growth and survival of ectopic implants. As part of this process, an abnormal peritoneal microenvironment may be constituted by increased levels of immune cells. Among these, the elevation of proinflammatory cytokines in the peritoneal and systemic environment would participate in this process. Cytokines including interleukin-6 (IL-6), a glycoprotein that acts on the immune response and is considered as a marker of inflammation has been proposed to play a role in the pathogenesis of endometriosis. Recently, we have shown that IL-6 concentrations in the peritoneal fluid (PF) were higher in women with endometriosis compared to healthy women (Andrade et al., 2017, in press). However, the source of IL-6 in PF has not yet been fully elucidated and its potential involvement with endometriosis warrants further investigation. In the present study, we evaluated the protein expression of IL-6 in endometrial tissue and its concentration in PF of women with pelvic endometriosis and compared them with healthy women. A total of 18 patients with endometriosis and 12 women with normal pelvis were included in this case-control study. Clinical and laboratory evaluations were performed. IL-6 levels in PF and protein expression in endometrial tissue were determined using enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA) and immunohistochemistry respectively. The concentrations of IL-6 in PF were significantly higher in the endometriosis group compared to the control group [48.2 (36.7-89.9) ng / ml versus 23.1 (11.8-35, 3) ng / ml, P = 0.002]. Protein expression of IL-6 was positive in most samples from both groups being significantly more intense in the endometriotic tissue of patients with endometriosis compared to the endometrial expression in women with normal pelvis (P < 0.05). The results of the present study suggest that the source of IL6 in the PF of patients with endometriosis may come, at least in part, from the endometriotic focus.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/165678
Arquivos Descrição Formato
001045587.pdf (303.6Kb) Texto parcial Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.