Repositório Digital

A- A A+

Parceria estratégica Brasil – República Popular da China : passado, presente e perspectivas para o futuro

.

Parceria estratégica Brasil – República Popular da China : passado, presente e perspectivas para o futuro

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Parceria estratégica Brasil – República Popular da China : passado, presente e perspectivas para o futuro
Autor Pasa, Jordy Bolivar
Orientador Silva, André Luiz Reis da
Data 2016
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Curso de Relações Internacionais.
Assunto Aliança estratégica
Brasil
China
Crise financeira
Política externa
[en] Foreign policy
[en] Strategic partnership
Resumo A presente pesquisa tem como objetivo avaliar o trajeto histórico, as condições atuais e as perspectivas para o futuro da parceria estratégica entre o Brasil e a República Popular da China. Edificada no princípio dos anos de 1990, a parceria estratégica sino-brasileira é resultado, em grande medida, das duas décadas de relações diplomáticas entre brasileiros e chineses que a antecederam. Foi somente a partir de sua definição, contudo, que os laços entre Brasília e Pequim ganharam peso significativo frente às estratégias nacionais de ambos os países. É também com a parceria estratégica que nota-se a dinamização das relações entre Brasil e China, processo que levaria, nos nossos anos, ao estabelecimento da China como principal parceiro comercial brasileiro no mundo, além de notório aliado em diversas áreas, e à consolidação do Brasil como o grande associado chinês em termos políticos e econômicos na América do Sul. Uma série da fatores, entretanto, turvam, hoje, o futuro de tais relações, em um cenário de instabilidade que carece de muita respostas. Através de uma série de passos metodológicos, aqui se examinará os detalhes deste caso, esforço justificado, em termos de importância, pela relevância dos laços estabelecidas entre Brasil e China e pela relativa escassez de produções tanto brasileiras quanto chinesas sobre tanto.
Abstract This paper’s main goal is to evaluate the historical path, the current conditions and the future perspectives of the strategic partnership between Brazil and the People’s Republic of China. Elaborated in the beginning of the 1990s, the Brazil-China strategic partnership is largely the result of the two decades of diplomatic relations between Brazilians and the Chinese that preceded its formulation. Nevertheless, it was only after its emergence that the ties between Brasilia and Beijing were granted with significant importance regarding both countries’ national strategies. Such strategic partnership also inaugurated a dynamic period in the history of the Sino-Brazilian relations that led to the establishment of China as Brazil’s largest commercial partner in the world and as a notorious ally in many other areas. Brazil, on the other hand, became throughout time China’s leading associate in political and economical terms in South America. However, a number of factors cloud today the future of such relation due to a scenario of instability characterized by many unanswered questions. Through a series of methodological steps, this research will examine the details of such case, an attempt justified by the relevance of the ties settled between Brazil and China and furthermore by the relatively small amount of scientific works produced so far in this specific area.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/166109
Arquivos Descrição Formato
001026480.pdf (987.9Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.