Repositório Digital

A- A A+

Cinema e identidade cultural : David Cronenberg questionando limites

.

Cinema e identidade cultural : David Cronenberg questionando limites

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Cinema e identidade cultural : David Cronenberg questionando limites
Autor Medeiros, Rosângela Fachel de
Orientador Oliveira, Ubiratan Paiva de
Data 2008
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Programa de Pós-Graduação em Letras.
Assunto Atwood, Margaret 1939-.
Cinema canadense
Cinema contemporâneo
Cinema e literatura
Crítica cinematográfica
Cronenberg, David 1943-.
Cultura
Historiografia
Identidade nacional
Imaginário
Literatura comparada
McLuhan, Marshall 1911-1980.
Meios de comunicação
Teoria literária
Resumo O presente trabalho investiga a marca anglo-canadense na obra do cineasta David Cronenberg a partir do diálogo que instaura com as tradições culturais e teóricas do país que dizem respeito, ao tecnicismo, centrado nos meios de comunicação, propagado pelos teóricos da comunicação da Escola de Toronto e, especialmente, por Marshall Mcluhan e levando em consideração a tendência dos protagonistas canadenses a serem não-heróis, apontada por Margaret Atwood. E com o objetivo de contextualizar sua produção artística, mercadológica e culturalmente, no interior do sistema cinematográfico do Canadá, apresenta uma breve historiografia do cinema do país. Em relação à notória recorrência na obra do cineasta em questionar os limites do corpo humano, este trabalho analisa sua confluência com tradições teóricas e artísticas, que centramse nessa questão. E destaca as considerações referentes à abjeção e ao disgust, sentimentos diretamente associados ao temor frente ao rompimento dos limites corporais. O objetivo central deste trabalho é então desvelar como essas heranças da tradição cultural canadense estão relacionadas às obsessões cronenberguianas, principalmente em relação ao corpo, e à forma como esses elementos se amalgamam na configuração de sua obra extrema e única.
Abstract This dissertation investigates the Anglo-Canadian trademark in the work of cinematographer David Cronenberg through his dialogue with the cultural and theoretical traditions of the country which concern technicism, centred on the means of communication, disseminated by the theoreticians of communication from the School of Toronto, and specially by Marshall McLuhan and taking into consideration the tendency on the part of the Canadian protagonists to be non-heroes, pointed out by Margaret Atwood. Also aiming to contextualize his artistic production, commercially and culturally, in the Canadian cinematographic system, it presents a brief historiography of cinema in Canada. As to the notorious recurrence of on investigation concerning the limits of the body, this dissertation analyses its confluence with theoretical and artistic traditions focused on this theme. It points out the consideration concerning abjection and disgust, feelings which are directly associated with the fear which the exceeding of the corporeal limits provokes. The central aim of this dissertation is therefore to reveal how these heirlooms of the Canadian cultural tradition are related to Cronenberg's obsessions, notably these related to the human body, and to the way that such elements amalgamate to produce his extreme and unique work.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/16861
Arquivos Descrição Formato
000706688.pdf (2.323Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.