Repositório Digital

A- A A+

Aplicação de auxinas e incisão anelar de ramos em pessegueiros cv. Diamante

.

Aplicação de auxinas e incisão anelar de ramos em pessegueiros cv. Diamante

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Aplicação de auxinas e incisão anelar de ramos em pessegueiros cv. Diamante
Outro título Application of auxins and ringing branches on peachs cv. diamante
Autor Sartori, Ivar Antonio
Marodin, Gilmar Arduino Bettio
Resumo O cultivo de pessegueiros é uma atividade de grande importância econômica no Sul do Brasil, onde se destaca o Estado do Rio Grande do Sul como grande produtor brasileiro, sendo que 50% dos pomares se encontram na Metade Sul do Estado. Um dos principais problemas do pessegueiro é o tamanho dos frutos e a produção em épocas concentradas que dificultam a comercialização. Com o intuito de aumentar o tamanho e expandir o período de colheita do fruto, estudou-se o efeito de aplicações de auxinas e da execução da incisão anelar (I.A.) em ramos do pessegueiro ‘Diamante’. A avaliação foi realizada no ano agrícola de 1999-2000, na Estação Experimental Agronômica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), situada em Eldorado do Sul-RS, na latitude 3039’S, longitude 5106’W e a altitude de 46 metros O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com quatro repetições e uma planta por parcela, com os seguintes tratamentos: 1) 10 mg.L-1 3,5,6-TPA álcool amina; 2) 20 mg.L-1 3,5,6- TPA álcool amina; 3) 30 mg.L-1 3,5,6-TPA álcool amina; 4) 20 mg.L-1 3,5,6-TPA álcool amina + (I.A.); 5) 30 mg.L-1 3,5,6-TPA ácido livre; 6) 30 mg.L-1 3,5,6- TPA ácido livre + (I.A.); 7) 25 mg.L-1 2,4-DP éster; 8) 50 mg.L-1 2,4-DP éster; 9) 75 mg.L-1 2,4-DP éster; 10) 50 mg.L-1 2,4-DP éster + (I.A.); 11) Incisão Anelar (I.A.) e 12) Testemunha. Os resultados demonstraram que os tratamentos com auxinas e (I.A.) não aumentaram o peso total de frutos por planta. Os tratamentos com auxinas, especialmente o 3,5,6-TPA 30 mg.L-1 ácido livre, com (I.A.) ou não, anteciparam a colheita em cerca de 20 dias. O tratamento com 30 mg.L-1 de 3,5,6-TPA ácido livre, associado à incisão anelar, resultou em incrementos de diâmetro e comprimento dos frutos em relação à testemunha, porém não diferiu estatisticamente dos demais tratamentos. Os tratamentos 3,5,6 TPA 20 mg.L-1 e 2,4 DP (Éster) 75 mg.L-1 anteciparam a colheita em 20 dias e não diferiram estatisticamente do tratamentos 30 mg.L-1 3,5,6 TPA ácido livre. A distribuição dos frutos de primeira categoria foi superior para os tratamentos 30 mg.L-1 3,5,6 TPA ácido livre + (I.A.) e 20 mg.L-1 de 3,5,6-TPA (álcool amina), embora não diferindo estatisticamente da testemunha.
Abstract O The peach industry is of great economic importance in Southern Brazil. The state of Rio Grande do Sul is the major peach producer in the country. About 50% of the production areas of the state are located in its southern half. The main problem of peach production is the very concentrated harvest season. Fruit size is also a problem. Therefore the objectives of the present work were to increase fruit size and to spread the harvesting period of peaches cv. Diamante by the application of 3,5,6-tricloro-2-piridil-oxiacetic acid (3,5,6-TPA; free acid and amine alcohol) or 2,4- diclorofenoxipropionic acid (2,4-DP; ester) as well as associate these chemicals with and without ringing of branches. The evaluations were performed in the season 1999/2000 on plants at the Experimental Agricultural Station of Federal University of Rio Grande do Sul, located in Eldorado do Sul, latitude 30°39’S, longitude of 51°06’W and altitud of 46 meters. The following treatments were applied in a randomized block design with 4 replications and one plant as experimental unit: 1) 10 mg.L-1 of 3,5,6-TPA amine alcohol 2) 20 mg.L-1 of 3,5,6-TPA amine alcohol 3) 30 mg.L-1 of 3,5,6-TPA amine alcohol 4) 20 mg.L-1 of 3,5,6-TPA, amine alcohol plus ringing of branches; 5) 30 mg.L-1 of 3,5,6-TPA free acid; 6) 30 mg.L-1 of 3,5,6-TPA free acid plus ringing of branches; 7) 25 mg.L-1 of 2,4-DP; 8) 50 mg.L-1 of 2,4-DP; 9) 75 mg.L-1 of 2,4-DP; 10) 50 mg.L-1 of 2,4-DP plus ringing of branches; 11) ringing of branches in September and 12) control, with no treatment at all. Auxin application does not increase total fruit production of peach trees. However, auxin treatments, specially 3,5,6-TPA free acid, anticipated peach harvest for about 20 days in comparison to control trees. The treatments with 30 mg.L-1 of 3,5,6-TPA free acid result in increments of diameter and length in comparison to, but are not significantly diffent from all other treatments. The treatments 20 mg.L-1 of 3,5,6-TPA amine alcohol and 75 mg.L-1 of 2,4-DP (éster) anticipated peach harvest for about 20 days, which was not statistics different from the the 30 mg.L-1 of 3,5,6-TPA free acid treatments. Classification of peachs in first class fruit was highest in the 30 mg.L-1 of 3,5,6-TPA free acid + (ringing) and 20 mg.L-1 of 3,5,6-TPA, amine alcohol, but not differing statistics with the control.
Contido em Revista Brasileira de Fruticultura. Vol. 25, n. 1 (ago. 2003), p. 1-4
Assunto Auxina
Pêssego
Regulador de crescimento
[en] Crop precocity
[en] Fruit quality
[en] Girdling
[en] Growth regulator
[en] Prunus persica
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/19869
Arquivos Descrição Formato
000447289.pdf (414.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.