Repositório Digital

A- A A+

Do homem smithiano ao homo economicus : egoísmo e dissolução da moral

.

Do homem smithiano ao homo economicus : egoísmo e dissolução da moral

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Do homem smithiano ao homo economicus : egoísmo e dissolução da moral
Autor Avila, Róber Iturriet
Orientador Corazza, Gentil
Data 2010
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Ciências Econômicas. Programa de Pós-Graduação em Economia.
Assunto História do pensamento econômico
Teoria econômica
[en] History of economic thought
[en] Homo economicus
[en] Methodology in economics
[en] Positivism
[en] Self-interest premise
Resumo Este trabalho se propõe a remontar a dissolução ocorrida no tempo em que a Economia Política buscava limitar seu campo de estudo, particularmente no que se refere a percepção sobre a conduta humana e a assunção de que os homens são intrinsecamente egoístas. Para tanto, é desenvolvida a visão do homem moralmente condicionado em Adam Smith e também as modificações subsequentes originadas nas diferentes concepções dos autores da escola clássica e da neoclássica. Sendo que estas mudanças enfatizam o egoísmo do agente econômico. Neste intento, é retraçado o caminho da consolidação do postulado do egoísmo, assim como os percalços, controvérsias e conflitos desta caracterização. São explorados os elementos que auxiliaram na transformação do homem smithiano em homo economicus, tais como a leitura descontextualizada de Smith, o individualismo, o utilitarismo, o individualismo metodológico, o positivismo e a própria necessidade de abstração teórica. Adicionalmente, é verificado que a confusão de conceitos presente nesta construção metodológica traz a referência de que a ciência econômica faz apologia ao egoísmo. Esta percepção é um subproduto do desenlace da economia com as questões morais.
Abstract This research is proposed to reassemble the dissolution occurred when the Political Economy sought to limit their field of study, particularly in the perception of humann behavior and the assumption that men are inherently selfish. To do that, it is developed the perception of Adam Smith about human behavior, and the subsequent changes resulting from different conceptions of classical and the neoclassical authors. These changes emphasize the selfishness of the economic agent. In this attempt, is showed the way of the consolidating of self-interest premise, the mishaps and controversies of this path. It explores the the elements that collaborated in the transformation of Smithian man in homo economicus, such as decontextualized reading of Smith, individualism, utilitarianism, methodological individualism, positivism and the very necessity of theoretical abstraction. Additionally, it is observed that the confusion of concepts present in this methodological construction suggests that economics salutes the egoism. This is a result of the distinction between moral and economic aspects.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/22665
Arquivos Descrição Formato
000733948.pdf (221.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.