Repositório Digital

A- A A+

Trauma infantil e função executiva em usuários de crack

.

Trauma infantil e função executiva em usuários de crack

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Trauma infantil e função executiva em usuários de crack
Autor Narvaez, Joana Corrêa de Magalhães
Orientador Kapczinski, Flávio Pereira
Data 2010
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas.
Assunto Cocaína crack
Cognição
Função executiva
Transtornos de estresse traumático
Transtornos relacionados ao uso de substâncias
[en] Childhood
[en] Cognition
[en] Crack cocaine
[en] Executive functioning
[en] Impulsivity
[en] Trauma
Resumo O uso de crack é um importante problema de saúde pública no Brasil. Recentes estudos mostraram que a prevalência de uso do crack no Brasil é de 0,7%. Dados atuais sugerem que o trauma de infância é associado a piores desfechos entre os usuários de cocaína e maiores escores de impulsividade. Este estudo avaliou o trauma infantil através do Childhood Trauma Questionnaire (CTQ) e as funções executivas, utilizando o Wisconsin Card Sorting Test (WCST), em 84 usuários de crack. Os resultados demonstrados a partir de regressão linear apontam que o trauma de infância, o uso contínuo de crack sem períodos de abstinência, a comorbidade com outras substâncias ilícitas e IQ explicaram 44% da variância no funcionamento executivo dos pacientes. Os escores de impulsividade Barrat (BIS 11) foram associados com o trauma de infância, sugerindo que o trauma infantil pode ser um fator de risco para prejuízos mais severos entre usuários crack.
Abstract The use of crack cocaine is a major public health concern in Brazil. Recent studies showed that the lifetime prevalence of crack cocaine use among Brazilians is about 0.7%. Recent data suggest that childhood trauma is associated with worse outcomes among cocaine users and higher impulsivity scores. This study evaluated childhood trauma using the Childhood Trauma Questionnaire (CTQ) and executive functioning, using the Wisconsin Card Sorting Test (WCST), among 84 crack cocaine users. The results of a linear regression showed that childhood trauma, continuous use of crack without periods of abstinence, multidrug use and IQ predicted 44% of the variance in the executive functioning of patients. Barrat Impulsivity Scores (BIS 11) were associated with childhood trauma, which suggests that trauma may be a risk factor for more severe impairment among crack cocaine users.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/25126
Arquivos Descrição Formato
000752144.pdf (878.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.