Repositório Digital

A- A A+

Entre morros, composteiras e lixeiras : labirintos pedagógicos nas abordagens de educação ambiental

.

Entre morros, composteiras e lixeiras : labirintos pedagógicos nas abordagens de educação ambiental

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Entre morros, composteiras e lixeiras : labirintos pedagógicos nas abordagens de educação ambiental
Autor Gasparotto, Juliana Schwingel
Orientador Souza, Nádia Geisa Silveira de
Data 2010
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências Básicas da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde.
Assunto Análise do discurso
Ciências : Ensino
Educação ambiental
Ensino e aprendizagem
Estudos culturais
Subjetividade
[en] Cultural studies in science
[en] Discursive practices
[en] Environmental education
[en] Subjectivity
Resumo Esta dissertação de Mestrado está vinculada a minha formação como professora/bióloga e, principalmente, à minha atuação como educadora ambiental. A partir de aproximações com o campo dos Estudos Culturais, dos Estudos Culturais da Ciência e de estudos com inspiração foucaultiana, passei a problematizar as práticas discursivas que foram me constituindo num determinado tipo de educadora ambiental, bem como o processo de enunciação que engendra os discursos ambientais que atravessam diferentes instâncias sociais, inclusive a escola. Neste estudo, compreendo a Educação Ambiental como uma produção de práticas sociais, interpelada por discursos e práticas de diferentes instâncias culturais que se articulam, se confrontam e, que posta em funcionamento, constitui determinadas subjetividades. Com esses entendimentos e questionamentos, busquei conhecer e problematizar práticas de Educação Ambiental que atravessam o cotidiano escolar e produzem efeitos sobre os alunos. Inicialmente, apresento as problematizações sobre a minha trajetória como professora/bióloga/pesquisadora e as motivações que me levaram a optar pela temática da Educação Ambiental para fazer este estudo, bem como as ferramentas conceituais que sustentaram as análises. No segundo momento, realizo um rápido mergulho histórico sobre a emergência da Educação Ambiental e sua articulação com o campo da Educação Escolar. Transito pelas diferentes matizes que, atualmente, permeiam as abordagens de Educação Ambiental. Busco interrogar enunciados postos em funcionamento nas práticas pedagógicas e nas proposições da temática ambiental presentes nos Parâmetros Curriculares Nacionais. No terceiro momento, apresento uma reflexão sobre as atuais abordagens de cultura, especialmente a noção de cultura como recurso, imbricando-as com as questões ambientais. Discuto como as sociedades ocidentais contemporâneas, caracterizadas pelo consumo, capturam as questões culturais e ambientais, agregando valores e conceitos à venda de produtos e imagens, através de anúncios publicitários e do marketing ecológico/ambiental, articulando-os com práticas de Educação Ambiental, que atravessam, ou não, os espaços escolares produzindo efeitos na produção de um tipo particular de sujeito – sujeito/consumidor/ecológico. No quarto momento, apresento o processo de construção da pesquisa, na qual utilizei ferramentas de cunho etnográfico, bem como os questionamentos sobre o próprio fazer investigativo - os caminhos metodológicos percorridos com seus labirintos, tessituras e combinações de possibilidades que se configuraram nesta dissertação. Na última parte da dissertação, apresento o movimento que realizei na tentativa de mapear uma escola pública – como um texto e contexto atravessado por práticas de Educação Ambiental -, bem como as problematizações acerca do discurso de Educação Ambiental que circula neste espaço escolar. Discuto como a escola lida com o discurso ambiental nas práticas escolares cotidianas e seus possíveis efeitos no modo de pensar e agir dos sujeitos/alunos naquele ambiente.
Abstract This paper is linked to my formation as a teacher/biologist and, mainly, to my involvement with the environmental education. Considering the approach with the field of cultural studies, of science cultural studies, and Foucault – inspired studies, I started to problematize the discursive practices that constitute me in a certain kind of environmental educator. As well as the process of enunciation that engenders the environmental speeches that cross different social instances, including schools. In this essay, I see the Environmental Education as a production of Social practices interpellated by speeches and practices from different social instances that are articulated and faced by themselves and, when it starts working it constitutes certain subjectivity. Considering these understandings and questionings I tried to know and problematize everyday practices of Environmental Educational that cross our schools and produce effects on our students. At first, I introduce the problematizations throughout my trajectory as a teacher/biologist/ researcher, also, the motivations that took me to focus on the thematic field of Environmental education to study and to do my research, as well as the practical tools that sustained the analysis. The second moment I talk about the emergency of environmental education and I give a brief historical background about it .And its articulation with the field of school education. I travel, quickly, through different shades, that, nowadays, are in the middle of the Environmental Education approaches. I try to question the statements that are in pedagogical practices and the propositions of thematic environmental that are in the National Curricular Parameters. Or the third moment there is a moment of reflection about the current approaches of culture, specially the notion of culture as a resource, imbricating environmental questions. I discuss how the contemporary occidental societies characterized by consume, capture the environmental and cultural questions aggregating values and concepts to the products that are sold, through advertising, publicity and Environment ecological marketing, articulating them with the Environmental educational practices that cross, or not, the school spaces producing effects in the production of a specific kind of person – character/ consuming /ecological. The fourth moment, I show the basic steps in the process of making the research, using ethnographic tools as well as the questions about my own research practice – the methodology ways I passed with its labyrinths, structures and combinations of possibilities that configure this dissertation. In the last part of the dissertation, I try to map the public school – as a text and context crossed by practices of Environmental Education – as well as problematizations related to the speech about the Environmental Education that is around the school space. I discuss how the school deals with the environmental speech in the everyday school practices and its possible effects in the way of thinking and acting of the characters/ students in that environment.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/25569
Arquivos Descrição Formato
000754475.pdf (1.630Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.