Repositório Digital

A- A A+

A sociabilidade nas salas de cinema da cinelândia porto-alegrense retratada na Revista do Globo na década de 40 (1940-1949)

.

A sociabilidade nas salas de cinema da cinelândia porto-alegrense retratada na Revista do Globo na década de 40 (1940-1949)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A sociabilidade nas salas de cinema da cinelândia porto-alegrense retratada na Revista do Globo na década de 40 (1940-1949)
Autor Peck, Rafael da Silva
Orientador Rossini, Miriam de Souza
Data 2010
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação. Curso de Comunicação Social: Habilitação em Relações Públicas.
Assunto Cinema : Porto Alegre (RS)
Sociabilidade
Resumo O cinema se impôs como elemento formador do espaço urbano das grandes cidades. As majestosas salas de cinema foram erguidas em todas as capitais do Brasil, sendo fruto do interesse coletivo. Em Porto Alegre elas se situaram inicialmente na Rua da Praia, lugar onde se reunia a elite da capital gaúcha, para o footing, conversas em cafés e confeitarias e assistir as exibições de filmes Esse lugar foi chamado de Cinelândia Porto-Alegrense. O mercado exibidor chegou ao seu apogeu na década de 40 graças ao apoio das distribuidoras cinematográficas e a predileção do porto-alegrense pelo cinema como atividade de lazer. O público burguês, principal personagem do ambiente moderno da Cinelândia, viveu o espetáculo da rua, no Centro de Porto Alegre, tendo como cúmplice a Revista do Globo, publicação que apoiava o ideal modernizador e servia como divulgador a dos ideais burgueses da época. Com o objetivo de Analisar como a sociabilidade nas salas de cinema da Cinelândia porto-alegrense era retratada nas páginas da Revista do Globo analisamos os textos e imagens nas edições entre janeiro de 1940 e dezembro de 1949. Procuramos entender como a mudança no viver urbano, propiciada pela Cinelândia, era retratada na mídia local, como se dava a representação social das pessoas que freqüentavam a Cinelândia na época e o que era falado sobre cinema nessa mídia. A Revista do Globo falava sobre cinema em todas suas edições. O jornalismo de cinema falava predominantemente sobre os filmes norte americanos. As raras aparições da Cinelândia porto-alegrense contidas no corpus de pesquisa impôs o foco da análise nas razões da omissão desse espaço de convivência nas páginas da revista. Influenciada pela modernização da cidade a Revista do Globo negava a miscigenação social e racial existente, principalmente, nas salas de espera dos cinemas de Porto Alegre e não apresentava a sociabilidade das salas de cinema da Cinelândia porto alegrense. Quando se referia a esse espaço hegemônico demonstrava que a degradação era face integrante deste lugar. As fotografias e os textos que se referem à Cinelândia porto-alegrense não evidenciam as pessoas que freqüentam esse lugar. Os lugares de sociabilidade que aparecem na revista na década de 40 são os ambientes fechados, como salões de baile e confeitarias balizados pelos códigos de conduta e que abrigavam apenas os brancos e ricos.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/28034
Arquivos Descrição Formato
000767622.pdf (1.732Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.