Repositório Digital

A- A A+

A importância do autocontrole para a eficácia do controle externo realizado pelos tribunais de contas : o caso prático nas administrações públicas municipais da região metropolitana de Porto Alegre

.

A importância do autocontrole para a eficácia do controle externo realizado pelos tribunais de contas : o caso prático nas administrações públicas municipais da região metropolitana de Porto Alegre

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A importância do autocontrole para a eficácia do controle externo realizado pelos tribunais de contas : o caso prático nas administrações públicas municipais da região metropolitana de Porto Alegre
Autor Silva, Dubiratan Santos da
Orientador Demarco, Diogo Joel
Data 2010
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Administração. Curso de Administração.
Assunto Administração pública municipal
Controle externo
Resumo Esse trabalho visa analisar se os sistemas de controle interno da Região Metropolitana de Porto Alegre estão implementados de forma que venham efetivamente atendendo suas finalidades constitucionais no apoio as atividades de controle externo efetuadas pelos Tribunais de Contas. Com fins de atender o questionamento foi feito um estudo de múltiplos casos, nos Municípios de Alvorada, Gravataí, Barra do Ribeiro, Nova Santa Rita e Viamão, que tem suas contas auditadas pelo Serviço de Auditoria da Sede do Tribunal de Contas de Porto Alegre, onde esse autor realiza suas tarefas funcionais. Nesse estudo foi utilizado a bibliografia disponível e dados secundários, tais como relatórios de auditorias extraídos dos trabalhos, nos municípios em tela, realizados por auditores, lotados no Setor de Auditoria de Porto Alegre I, do TCERS. Da analise depreendeu-se que não houve avanços significativos na implementação efetiva do controle interno, sendo que ainda tem entre seus membros servidores comissionados ou detentores de funções gratificadas, logo sem a necessária independência, ou membros sem a qualificação necessária, decorrente não apenas de muitos sequer terem qualquer preparo para a função, como pela resistência dos Gestores em lhes proporcionar condições para que se aprimorem. Aliado ao desconhecimento e desorientação, os trabalhos não têm qualquer forma planejada, além da não segregação de função. Na grande maioria, os membros se reúnem esporadicamente, após o expediente, não tendo uma orientação adequada para qual finalidade estão exercendo a função e qual a sua responsabilidade técnica. Levando-se a conclusão que a implementação nos moldes atuais não vem efetivamente atendendo as finalidades constitucionais de apoio às atividades de controle externo efetuadas pelos Tribunais de Contas.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/29892
Arquivos Descrição Formato
000779287.pdf (443.0Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.