Repositório Digital

A- A A+

De trabalhadoras precárias a empreendedoras da confecção? : a complexa construção da identidade profissional das trabalhadoras a domicílio da indústria de confecção

.

De trabalhadoras precárias a empreendedoras da confecção? : a complexa construção da identidade profissional das trabalhadoras a domicílio da indústria de confecção

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título De trabalhadoras precárias a empreendedoras da confecção? : a complexa construção da identidade profissional das trabalhadoras a domicílio da indústria de confecção
Autor Pereira, Rosângela Maria
Orientador Rosenfield, Cinara Lerrer
Data 2011
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Sociologia.
Assunto Empreendedorismo
Identidade profissional
Indústria de confecção
Mundo do trabalho
Precarização do trabalho
Relações sociais
Sociologia das profissões
Sociologia do trabalho
Trabalho a domicílio
Trabalho precário
Trajetorias de vida
[en] Entrepreneurship
[en] Homeworking
[en] Precariousness
[en] Precarious work
[en] Professional identity
Resumo Este estudo trata da relação identidade profissional e relações de trabalho. O objetivo é investigar como as trabalhadoras a domicílio da indústria de confecção de Divinópolis (MG), inseridas nos processos de flexibilização e nas mudanças recentes no mundo do trabalho constroem sua identidade profissional. Recorre-se a entrevistas semiestruturadas com trabalhadoras a domicílio, empresários da confecção, diferentes trabalhadoras da indústria de confecção e representante do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Confecção de Divinópolis (MG) e à observação do campo com a confecção de um “Diário de campo”. Aborda-se a construção da identidade profissional, associada, particularmente, ao trabalho a domicílio, informal, precário e empreendedorismo. Para a análise da construção da identidade profissional, versa-se sobre as transformações do trabalho que envolvem os processos de subcontratação e terceirização na indústria de confecção, logo, as relações de trabalho, as relações com as instituições de representação, as condições de trabalho e as relações de gênero. Analisase a articulação contínua de dois processos, o da autonomia no trabalho e o reconhecimento no e pelo trabalho e a trajetória profissional e as perspectivas futuras das trabalhadoras. Reagrupa-se e classifica-se, de forma indutiva, as trabalhadoras a domicílio da indústria de confecção, a fim de construir uma tipologia das suas identidades profissionais. Caracteriza-se, empiricamente, quatro tipos: as trabalhadoras tipo precárias, as trabalhadoras tipo tuteladas, as trabalhadoras tipo proprietárias do pequeno negócio e/ou a pequena patroa e as trabalhadoras tipo empreendedoras. Como resultado deste estudo, mostra-se que o empreendedorismo individual como autoemprego estabelece exigências específicas para sua concretização (uma melhor divisão do trabalho na casa, recursos – financeiros – locais adequados de trabalho, maquinário de qualidade, qualificação formal e pelo trabalho, etc.). Os aspectos subjetivos, como o desejo de sucesso e de satisfação em criar algo, são relevantes para as possibilidades de sucesso, mas a sua concretização está calcada, ainda, em aspectos objetivos e, como tal, não está ao alcance de todas as trabalhadoras. A opção pelo trabalho autônomo não conduziria, efetivamente, a uma maior autonomia e liberdade no trabalho. O empreendedorismo envolve a contribuição de mais atores e, no trabalho a domicílio, exigiria um envolvimento maior da família. Um dos grandes desafios da análise sociológica, e enfrentado nesta pesquisa, é o de relacionar os processos históricos globais – ou macrossociológicos – com os relativos aos resultados da pesquisa empírica – microssociológicos – consagrados aos indivíduos e às situações sociais concretas. Logo, tornar possível uma análise sociológica da riqueza dos dados recolhidos no campo de pesquisa. As análises tipológicas das experiências vividas têm o significado e a vantagem de contribuir para explicitar os efeitos dos fenômenos estruturais, de ordem macrossociológica, sobre as atitudes e os comportamentos dos indivíduos e, consequentemente, sobre os espaços de liberdade, mesmo limitados, de que aqueles dispõem para dar um sentido a sua experiência social.
Abstract This study deals with the relationship between professional identity and work relationships. The aim is investigate how homeworkers in the textile industry from Divinópolis (MG), inserted into the processes of relaxation and recent changes in the work setting, build up their professional identity. The study makes use of semistructured interviews with female homeworkers, owners of textile companies, different workers in the textile industry and a representative of the Textile Industry Worker’s Union of Divinópolis (MG), as well as the field observation with the making of a “Field Diary”. The study tells of the building up of the professional identity associated particularly with the homeworking, informal, precarious and entrepreneurship. For the analysis of the building up of the professional identity, the study discusses about work changes that involve the processes of underemployment and outsourcing in the textile industry; therefore, the work relationships, the relationship with representation institutions, work conditions, and gender relationships. It analyzes the continuous articulation of two processes: work autonomy and recognition inside and for the job, as well as the professional trajectory and the workers’ perspectives for the future. We inductively rearranged and classified the homeworkers in the textile industry so that we could conceive a typology of their professional identities. We empirically characterized four types: the precarious type, the subordinate type, the owners-of-a-small-business type and/or the minor boss, and the enterprising type. As a result of this study, we show that the individual entrepreneurship as self-employment establishes specific demands for its achievement: a better work division at home, resources – financial – adequate places to work, quality machinery, formal qualification and for the job, and so on. The subjective aspects such as the desire to succeed and the joy in creating something are relevant for success possibilities; however, that is still grounded in objective aspects and for that reason, it is still out of such workers’ reach. The choice for the autonomous job would not effectively lead to a higher autonomy and freedom at work. The entrepreneurship demands the involvement of more elements, and in the homeworking, it would demand a higher involvement of the family. One of the biggest challenges in the sociological analysis, dealt with through this research, lies in relating the global historical processes – or macrosociological – to the processes concerning the empirical research – microsociological – which are particular to individuals and to concrete social situations; thereby, such challenge consists in enabling a sociological analysis of the richness of the data collected in the research field. The typological analysis of their experiences has the meaning and the advantage of helping to show the effects of the structural phenomena, of the macrosociological kind, about the attitudes and behavior of the individuals and, consequently, about the areas of freedom, even limited, that they have to give a meaning to their social experience.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/30615
Arquivos Descrição Formato
000780908.pdf (1.567Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.