Repositório Digital

A- A A+

Evidências para o desenvolvimento do diagnóstico de enfermagem "Síndrome da Fragilidade no Idoso" e fatores de risco para o diagnóstico de "Risco para a fragilidade no idoso" em unidades de internação cirúrgica

.

Evidências para o desenvolvimento do diagnóstico de enfermagem "Síndrome da Fragilidade no Idoso" e fatores de risco para o diagnóstico de "Risco para a fragilidade no idoso" em unidades de internação cirúrgica

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Evidências para o desenvolvimento do diagnóstico de enfermagem "Síndrome da Fragilidade no Idoso" e fatores de risco para o diagnóstico de "Risco para a fragilidade no idoso" em unidades de internação cirúrgica
Autor Erichsen, Carolina Gosmann
Orientador Waldman, Beatriz Ferreira
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Curso de Enfermagem.
Assunto Diagnóstico de enfermagem
Enfermagem
Envelhecimento da população
Idoso fragilizado
Resumo Trata-se de uma pesquisa sobre a fragilidade no idoso, uma condição clínica com possibilidade de prevenção que ainda não tem consenso definido, porém é comumente caracterizada como uma síndrome biológica com declínio das reservas fisiológicas e da resistência aos fatores estressores. Essas alterações resultam de declínios cumulativos nos diversos sistemas orgânicos relacionados ao avanço da idade. Além das alterações físicas, também podem estar presentes alterações psicológicas e sociais. É uma condição de risco para o desenvolvimento de agravos à saúde como piora do quadro de doenças crônicas, desnutrição, quedas, desabilidades para o desempenho das atividades de vida diária, incapacidades, hospitalizações, podendo até levar à morte. Objetivo geral: analisar evidências e fatores de risco que possam contribuir para o desenvolvimento dos diagnósticos de enfermagem “síndrome da fragilidade no idoso” e “risco para fragilidade no idoso” em unidades de internação cirúrgica. Este estudo faz parte de uma pesquisa maior intitulada Fragilidade em idosos: evidências para o desenvolvimento dos diagnósticos de enfermagem “risco para fragilidade no idoso” e ou “síndrome da fragilidade no idoso”, cujos resultados contribuirão para o desenvolvimento dos diagnósticos citados com vistas à futura proposta de inclusão à Taxonomia para diagnósticos de enfermagem da NANDA. Método: foi realizada uma pesquisa observacional descritiva do tipo transversal com abordagem quantitativa. A amostra foi constituída por 145 idosos das unidades cirúrgicas do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Por meio da aplicação dos três instrumentos de coleta de dados identificamos o perfil sócio demográfico e de morbidades pré-existentes, a ocorrência de fragilidade utilizando a Escala de Fragilidade de Edmonton e os diagnósticos de enfermagem nos prontuários nos idosos. Resultados: a fragilidade foi identificada em 26,2% da amostra. Idosos que apresentaram a ocorrência de fragilidade eram predominantemente mulheres (37%) com idade avançada de cor ou raça branca (26%) que vivem sozinhas (31,6%), com baixa escolaridade, baixa renda e presença de uma ou mais morbidades (29,8%). As morbidades pré-existentes mais frequentes nos idosos foram as do aparelho circulatório (38,36%) seguidas das doenças endócrinas, nutricionais e metabólicas (21,55%). Foram identificados oito diagnósticos de enfermagem nos prontuários dos idosos que se relacionam com a fragilidade, quais sejam: “mobilidade física prejudicada” (7,55%), “ansiedade” (5,23%), “nutrição desequilibrada: menos que as necessidades corporais” (3,78%), “deglutição prejudicada” (1,45%), “intolerância à atividade” (1,45%), “risco de queda” (0,58%), “fadiga” (0,58%) e “medo” (0,2%). Conclusões: os resultados encontrados nesse estudo que relacionam os dados do perfil sócio demográfico com a ocorrência da fragilidade estão de acordo com as demais pesquisas realizadas sobre esse tema. A relação entre as principais morbidades pré-existentes citadas pelos idosos e os diagnósticos de enfermagem identificados nos prontuários vão ao encontro do que é citado na literatura sobre os determinantes da fragilidade. Novos estudos são necessários para elucidar a possibilidade de prevenção, a ocorrência e o desenvolvimento da fragilidade, tema que é amplo e ainda pouco esclarecido. O estudo possibilitou identificar evidências e fatores de risco para o desenvolvimento de novos diagnósticos de enfermagem, no caso “síndrome da fragilidade no idoso” e “risco para fragilidade no idoso”, respectivamente.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/35966
Arquivos Descrição Formato
000816245.pdf (1.283Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.