Repositório Digital

A- A A+

Determinants of growth retardation in southern Brazil

.

Determinants of growth retardation in southern Brazil

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Determinants of growth retardation in southern Brazil
Outro título Determinantes do retardo no crescimento no Sul do Brasil
Autor Aerts, Denise Rangel Ganzo de Castro
Drachler, Maria de Lourdes
Giugliani, Elsa Regina Justo
Resumo Estudo transversal de base populacional sobre os determinantes do retardo no crescimento de crianças com menos de cinco anos (3.389), em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, definido como índice altura/ idade < -2 desvios-padrão do National Center for Health Statistics. Foi utilizado um modelo multivariado hierarquizado para ajustar o confundimento. A prevalência de retardo no crescimento foi de 6,8%. As crianças com maior prevalência tinham as seguintes características: renda per capita < 0,8 salário mínimo (RC: 3,95; IC95%: 2,10-7,42), mães sem escolaridade (RC: 17,17; IC95%: 4,43-66,54), moravam em casas de madeira ou mistas (RC: 2,33; IC95%: 1,35-4,01), inadequadas condições de moradia (RC: 2,75; IC95%: 1,70-4,43), idade materna ao nascimento < 20 anos (RC: 1,73; IC95%: 1,11-2,70), eram adotadas (RC: 3,28; IC95%: 1,52-7,07), terceira ou mais posição entre os irmãos (RC: 2,04; IC95%: 1,15-3,62), intervalo interpartal anterior (RC: 1,69; IC95%: 1,13-2,53) ou posterior < 24 meses (RC: 1,91; IC95%: 1,16-3,13), gêmeos (RC: 2,40; IC95%: 1,04-5,50), baixo peso ao nascer (RC: 3,79; IC95%: 2,38-6,02) e hospitalização no primeiro ano de vida (RC: 1,65; IC95%: 1,01-2,68). Essas características podem ser utilizadas pelos serviços básicos de saúde na prevenção de retardo no crescimento.
Abstract A cross-sectional population-based study of determinants of growth retardation in under-five children (3,389) in the city of Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil estimated odds ratios (OR) for stunting, defined as height-for-age < -2 z-scores of the NCHS standards. Hierarchical modeling based on a framework of the process of stunting was used. Stunting prevalence was 6.8%; the main determinants were per capita family income < 0.8 times the minimum wage (OR: 3.95; 95%CI: 2.10-7.42), maternal illiteracy (OR: 17.17; 95%CI: 4.43-66.54), living in a wooden or mixed-construction house (OR: 2.33; 95%CI: 1.35-4.01), inadequate housing (OR: 2.75; 95%CI: 1.70-4.43), maternal age at the child’s birth < 20 years (OR: 1.73; 95%CI: 1.11- 2.70), being an adopted child (OR: 3.28; 95%CI: 1.52-7.07), third-born child or greater (OR: 2.04; 95%CI: 1.15-3.62), birth interval < 24 months since previous child (OR: 1.69; 95%CI: 1.13- 2.53), subsequent sibling (OR: 1.91; 95%CI: 1.16- 3.13), multiple birth (OR: 2.40; 95%CI: 1.04- 5.50), low birth weight (OR: 3.79; 95%CI: 2.38- 6.02), and hospitalization in the first year of life (OR: 1,65; 95%CI: 1.01-2.68).The findings can be used by primary healthcare services to design specific interventions to prevent stunting.
Contido em Cadernos de saúde pública. Rio de Janeiro. Vol. 20, n. 5 (set./out. 2004), p. 1182-1190
Assunto Retardo mental
[en] Growth retardation
[en] Malnutrition
[en] Social conditions
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/49514
Arquivos Descrição Formato
000506879.pdf (75.87Kb) Texto completo (inglês) Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.