Repositório Digital

A- A A+

Déficit de atenção e hiperatividade em ratos submetidos à hipóxia-isquemia encefálica neonatal: uma relação possível?

.

Déficit de atenção e hiperatividade em ratos submetidos à hipóxia-isquemia encefálica neonatal: uma relação possível?

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Déficit de atenção e hiperatividade em ratos submetidos à hipóxia-isquemia encefálica neonatal: uma relação possível?
Autor Miguel, Patrícia Maidana
Orientador Silva, Lenir Orlandi Pereira
Data 2011
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Ciências Básicas da Saúde. Curso de Biomedicina.
Assunto Hipóxia-isquemia encefálica
Recém-nascido
Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade
Resumo O Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) pode ser causado por fatores genéticos ou ambientais. Dentre os fatores ambientais, as complicações perinatais podem estar relacionadas, como a Hipóxia-isquemia (HI) neonatal. Esse fator ainda é pouco estudado na relação com o TDAH e trabalhos experimentais ainda não foram realizados. Assim, o objetivo do nosso trabalho é investigar se a HI neonatal contribui para o desenvolvimento das características relacionadas ao TDAH na fase adulta em ratos, através do teste do campo aberto e 5-Choice Serial Reaction Time Task (5-CSRTT). Para isso, foram utilizados ratos Wistar machos, divididos em grupo HI e CT. O procedimento de HI consistiu na combinação da oclusão da artéria carótida comum direita ao 7º dia pós-natal com exposição a uma atmosfera hipóxica (8% O2 e 92% N2, durante 90 minutos). Durante a fase adulta, os animais foram submetidos ao teste do campo aberto, durante uma sessão de cinco minutos; e ao teste do 5-Choice Serial Reaction Time Task, durante 16 semanas. Neste teste, os animais são treinados a responder a um estímulo luminoso para receber uma recompensa alimentar e os aspectos atencionais e de impulsividade foram avaliados. Nossos resultados demonstraram que os animais HI apresentaram déficits de aprendizagem e atenção, evidenciado pelas alterações de diversos parâmetros: diminuição na acurácia, nas respostas corretas, e no número de tentativas na sessão, assim como o aumento das respostas incorretas, das percentagens de omissões e do tempo para completar a sessão, ao longo de todos os estágios de treinamento. Déficits no controle inibitório também foram observados pelo maior número de respostas perseverativas, enquanto a atividade locomotora global observada no campo aberto não foi comprometida. Com estes resultados, inferimos que a HI neonatal pode contribuir para o desenvolvimento das características comportamentais observadas no TDAH.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/55616
Arquivos Descrição Formato
000857528.pdf (787.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.