Repositório Digital

A- A A+

Os incluídos chegaram?! : narrativas de professores do projeto de Docência Compartilhada sobre a avaliação diferenciada

.

Os incluídos chegaram?! : narrativas de professores do projeto de Docência Compartilhada sobre a avaliação diferenciada

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Os incluídos chegaram?! : narrativas de professores do projeto de Docência Compartilhada sobre a avaliação diferenciada
Autor Reis, Julia Milani
Orientador Traversini, Clarice Salete
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Curso de Pedagogia: Licenciatura.
Assunto Avaliação da educação
Docência
Exclusão escolar
Inclusão escolar
Resumo Neste trabalho analiso os impasses vividos pelos professores no processo avaliativo de alunos ditos incluídos, os “anormais”, isto é, crianças diagnosticadas com Deficiência Intelectual, Síndrome de Down, Paralisia Cerebral, algum tipo de transtorno global de desenvolvimento (TGD) e síndromes do espectro do autismo. Procuro ainda entender como propostas de avaliação diferenciadas são incorporadas na prática dos professores inseridos no projeto de Docência Compartilhada de uma escola municipal de Porto Alegre/RS. Inspirada nos estudos de Alfredo Veiga-Neto, Clarice Traversini, Eli Fabris, Maura Corcini Lopes e Michel Foucault, utilizo os conceitos in/exclusão, governamentalidade e discurso como ferramentas analíticas para caracterizar a avaliação diferenciada enquanto uma nova formação discursiva. O contato com o material empírico produzido pelo Grupo de Pesquisa em Educação e Disciplinamento (Faculdade de Educação - UFRGS), no qual atuo como bolsista, serviu de base na elaboração do roteiro de entrevistas realizadas individualmente com as professoras do projeto de Docência Compartilhada, delineando a pesquisa como qualitativa. A partir dos dados produzidos construi três eixos de análise: 1. Meus alunos, teus alunos, nossos alunos: os (des)encaixes entre pedagoga e especialista na avaliação dos alunos incluídos; 2. Em processo para fazer o processo: a avaliação diferenciada na Docência Compartilhada e sua materialização no planejamento e nos pareceres finais e 3. Por uma avaliação diferenciada: narrativas e invenções no cotidiano docente. A investigação permitiu as seguintes constatações: a) o movimento entre o papel da pedagoga e o papel da especialista na avaliação dos alunos incluídos parece estar engendrado em um discurso que posiciona a formação do pedagogo como mais adequada ao trabalho com os mesmos; b) as professoras especialistas estão paulatinamente assumindo o discurso da inclusão, ao mesmo tempo, em que recorrem ao discurso da falta de formação para lidar com tais alunos; c) a inclusão enquanto tática de governo subjetiva novas formas de ser professor, novas formas do fazer docente de modo a incluir o “anormal”, sendo esse um dos fins do processo de governamento; d) constatou-se também que, para além das atividades diferenciadas em sala de aula, o discurso da avaliação em tais circunstâncias consiste em intervenções, exigências e registros peculiares às necessidades de cada aluno. Em síntese: a avaliação diferenciada na Docência Compartilhada se mostra no sentido de um ensaio de mudança no fazer docente.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/56378
Arquivos Descrição Formato
000859412.pdf (435.2Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.