Repositório Digital

A- A A+

A saúde das mulheres lésbicas : uma pesquisa bibliográfica

.

A saúde das mulheres lésbicas : uma pesquisa bibliográfica

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A saúde das mulheres lésbicas : uma pesquisa bibliográfica
Autor Bento, Aline Perdomo
Orientador Silva, Jacqueline Oliveira
Data 2012
Nível Especialização
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Curso de Especialização em Saúde Pública.
Assunto Homossexualidade feminina
Lésbicas
Saúde
Resumo A pesquisa teve como objetivo conhecer a produção de artigos em Língua Portuguesa sobre a Saúde das Mulheres Lésbicas indexada na Biblioteca Virtual em Saúde no período compreendido entre janeiro de 2000 e janeiro de 2012. Para análise dos documentos resultantes da busca no indexador, foi utilizada metodologia de Análise de Conteúdo. Foram encontrados dez artigos em resultado aos unitermos "homossexualidade feminina", "lésbicas", "saúde da mulher" e "preconceito". Os resultados indicam que os estudos que tratam sobre a temática das mulheres lésbicas totalizam um número muito inexpressivo, se comparado aos estudos sobre a homossexualidade masculina, o que indica um duplo preconceito. A mulher traz o histórico de ter sido, por muito tempo, reconhecida somente por meio do masculino e sempre sendo dominada por ele. Então, além de estarem em segundo plano, as mulheres em questão possuem uma orientação sexual diferente da estabelecida, sendo consideradas como desviantes. O preconceito se intensifica na medida em que, além de serem mulheres, são mulheres lésbicas. A análise das publicações revelou um conjunto de necessidades, sendo que, no âmbito do SUS, a abertura para a participação e o controle social vem possibilitando que grupos sociais estigmatizados questionem a dificuldade de acesso e reivindiquem a resolução de suas demandas específicas. Demonstram o receio das mulheres lésbicas, especialmente nas questões que dizem respeito à sexualidade e às práticas sexuais, de enfrentar atitudes de violência e de discriminação que dificultam a abertura diante dos profissionais de saúde. Além disso, os persistentes modelos de sexualidade heteronormativo e de gênero que se refletem na organização dos serviços de saúde, muitas vezes, parecem os fatores determinantes para a não identificação das lésbicas com as questões de saúde "voltadas para mulheres" e para o reforço da ideia de invulnerabilidade às DST/Aids, cujas pesquisas e modelos de prevenção tradicionalmente as têm excluído.
Tipo Trabalho de conclusão de especialização
URI http://hdl.handle.net/10183/56831
Arquivos Descrição Formato
000861343.pdf (527.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.