Repositório Digital

A- A A+

Usuários frequentes de um serviço de urgência : perfil e motivos de busca por atendimento

.

Usuários frequentes de um serviço de urgência : perfil e motivos de busca por atendimento

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Usuários frequentes de um serviço de urgência : perfil e motivos de busca por atendimento
Outro título Frequent users of an emergency service: profile and reasons to seek care
Outro título Pacientes frecuentes de un servicio de urgencias: perfil y motivos de búsqueda de atención
Autor Acosta, Aline Marques
Orientador Lima, Maria Alice Dias da Silva
Data 2012
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.
Assunto Enfermagem em emergência
Necessidades e demandas de serviços de saúde
Serviços hospitalares
[en] Emergency nursing
[en] Health service needs and demands
[en] Hospital emergency services
[es] Enfermería de urgencia
[es] Necesidades y demandas de servicios de salud
[es] Servicios de urgencia en hospital
Resumo O estudo teve como objetivo geral analisar a utilização frequente por usuários adultos do serviço de urgência de um hospital universitário. Trata-se de uma pesquisa de métodos mistos do tipo explanatório sequencial. Foi realizada uma etapa de caráter quantitativo para descrever as características demográficas e clínicas dos usuários frequentes do serviço de urgência e identificar as características da utilização de serviço de urgência por usuários frequentes. A seguir, foi realizada uma etapa qualitativa, com o propósito de explorar os motivos da utilização frequente do serviço de urgência. Os dados quantitativos foram coletados por meio de registros dos prontuários eletrônicos dos pacientes, a partir de uma amostra de 385 usuários frequentes do Serviço de Emergência de um hospital universitário da região sul do Brasil. Os dados qualitativos foram obtidos por meio de entrevistas semiestruturadas por telefone com 18 usuários frequentes, selecionados por uma amostra intencional. Os dados da etapa quantitativa foram analisados no Programa Statistical Package for the Social Science (SPSS), pela utilização de técnicas de estatística descritiva e inferencial, com nível de significância de 5% (p<0,05). Para o tratamento dos resultados qualitativos, foi utilizada a técnica de análise de conteúdo temática, com a utilização do software Atlasti.6. Os resultados evidenciam que os usuários frequentes são responsáveis por cerca de 24% do total de atendimentos realizados no serviço de urgência. O número de reincidências no serviço variou de 4 a 58 vezes, tendo uma média de 6,59 vezes. A maioria da demanda desses indivíduos no serviço ocorreu em dias úteis (81,3%) e no turno da manhã (58,4%). Os usuários frequentes são um grupo com características heterogêneas, mas com fatores que os tornam mais vulneráveis, como a idade avançada, a baixa escolaridade e a alta prevalência de condições crônicas. Apesar de existir um grupo de pessoas que têm problemas de saúde de caráter não urgente e que permaneceram menos de uma hora no serviço, de forma geral usuários frequentes são classificados com níveis de risco mais elevados, permanecem mais tempo no serviço e têm alta taxa de mortalidade e de internação hospitalar. A busca da unidade de urgência pelos usuários frequentes foi decorrente principalmente de exacerbação ou complicação de condições crônicas e, em menor escala, de agravos agudos recorrentes ou de tratamento prolongado. Para eles, o seu estado de saúde era uma situação de urgência e exigia atendimento imediato. Foram identificados quatro aspectos relacionados à organização da atenção à saúde que configuram a busca repetida por atendimento no setor de urgência: a facilidade de acesso, a capacidade de resolutividade, o vínculo e os retornos agendados para o serviço. A maioria dos indivíduos utilizava também outros serviços de saúde, como a atenção primária e o ambulatório do hospital. Os resultados evidenciaram o perfil dos usuários frequentes e indicaram lacunas no sistema de saúde, contribuindo para melhor compreensão acerca da busca repetida por atendimento nos serviços de urgência. Concluiu-se que usuários frequentes do serviço de urgência têm pior estado de saúde, necessitando de cuidados em toda rede assistencial.
Abstract The present study aimed to analyze the frequent use of the emergency service of a university hospital by adult users. A sequential explanatory design was adopted in this mixed method research. A quantitative stage was performed to describe the demographic and clinical characteristics of frequent users of emergency services and to identify the characteristics of emergency service use by these users. A qualitative stage was subsequently performed, aiming to explore the reasons for frequent emergency service use. Quantitative data were collected from patients’ online medical records in a sample comprised of 385 frequent users of the emergency service of a university hospital in Southern Brazil. Qualitative data were obtained from semi-structure interviews conducted by telephone with 18 frequent users, selected by intentional sample. Data from the qualitative stage were analyzed with the Statistical Package for the Social Sciences software (SPSS), as it uses descriptive and inferential statistical techniques with a 5% significance level (p<0.05). Thematic content analysis was used to treat the qualitative results, using the Atlasti.6 software. The results show that frequent users were responsible for approximately 24% of all emergency service visits. The number of service recurrences varied from four to 58 times and the mean was 6.59 times. Most of the demand for this service occurred on weekdays (81.3%) and in the morning shift (58.4%). Frequent users comprise a group with heterogeneous characteristics, although with factors that caused them to be vulnerable, such as advanced age, low level of education and high prevalence of chronic conditions. Despite the existence of a group of individuals with health problems considered not to be urgent who remained in the service for less than an hour, frequent users were usually categorized into higher risk levels, remained in the service for longer periods and had high mortality and hospitalization rates. The search for emergency services by frequent users mainly resulted from the exacerbation or complication of chronic conditions and, to a lesser degree, from recurrent acute health problems or those with a long period of treatment. According to these users, their health status was an urgent matter and required immediate treatment. This study identified four aspects associated with the health care organization, which represent the continuous search for emergency care: easy access to this service, higher resolvability, the connection between patients and service and the followup visits booked for this service. The majority of individuals also used other health services, such as primary care units and the hospital’s outpatient clinic. The results revealed the profile of frequent users and indicated gaps in the health system, thus contributing to better understanding of the continuous search for care in emergency services. It could be concluded that frequent users of emergency services have poorer health conditions, requiring care from the entire health network.
Resumen El estudio tuvo como objetivo general analizar la utilización frecuente por parte de pacientes adultos del servicio de urgencias de un hospital universitario. Investigación de métodos mixtos, del tipo explicativo secuencial. Fue realizada una etapa cuantitativa para describir las características demográficas y clínicas de la utilización del servicio de urgencia por parte de pacientes frecuentes. Posteriormente, fue efectuada una etapa cualitativa, con el objeto de explorar los motivos de la utilización frecuente del servicio de urgencias. Los datos cuantitativos fueron recolectados mediante registro de las historias clínicas electrónicas de los pacientes, a partir de una muestra de 385 pacientes frecuentes del Servicio de Emergencias de un hospital universitario de la región Sur de Brasil. Los datos cualitativos se obtuvieron mediante entrevistas telefónicas semiestructuradas con 18 pacientes frecuentes, seleccionados según una muestra intencional. Los datos de la etapa cuantitativa fueron analizados con el Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), utilizando técnicas de estadística descriptiva e inferencial con nivel de significatividad de 5% (p<0,05). Para el tratamiento de los resultados cualitativos, se utilizó el análisis de contenido temático, apoyada por el software Atlasti.6. Los resultados evidencian que los pacientes frecuentes son responsables de cerca del 24% del total de atenciones realizadas en el servicio de urgencia. El número de reincidencias en el servicio varió de 4 a 58 veces, promediando 6,59 veces. La mayor parte de la demanda de tales individuos en el servicio sucedió en días hábiles (81,3%) y en el turno matutino (58,4%). Los pacientes frecuentes son un grupo con características heterogéneas, pero con factores que los vuelven más vulnerables, como la edad avanzada, la baja escolarización y la alta prevalencia de condiciones crónicas. A pesar de existir un grupo de personas que sufren de problemas de salud de carácter no urgente y que permanecen menos de una hora en el servicio, en general los pacientes frecuentes son clasificados con niveles de riesgo más elevados, permanecen más tiempo en el servicio y tienen alta tasa de mortalidad y de internación hospitalaria. La búsqueda de la unidad de urgencia por parte de los pacientes frecuentes derivó principalmente de la exacerbación o complicación de condiciones crónicas y, en menor escala, de padecimientos agudos recurrentes o de tratamiento prolongado. Para ellos, su estado de salud constituía una situación de urgencia y exigía atención inmediata. Fueron identificados cuatro aspectos relacionados a la organización de la atención sanitaria que configuran la búsqueda reiterada de atención en el sector de urgencias: la facilidad de acceso, la capacidad de resolución, el vínculo y las visitas de retorno al servicio agendadas. La mayoría de los individuos utilizaba también otros servicios de salud, como la atención básica y el ambulatorio hospitalario. Los resultados evidenciaron el perfil de los pacientes frecuentes e indicaron carencias en el sistema de salud, contribuyendo a una mejor comprensión de la búsqueda reiterada de atención en los servicios de urgencia. Se concluyó en que los pacientes frecuentes del servicio de urgencia sufren un peor estado de salud, necesitando de cuidados en toda red asistencial.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/67152
Arquivos Descrição Formato
000872852.pdf (2.422Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.