Repositório Digital

A- A A+

Manejo não farmacológico da dor em mulheres durante o trabalho de parto em um hospital escola

.

Manejo não farmacológico da dor em mulheres durante o trabalho de parto em um hospital escola

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Manejo não farmacológico da dor em mulheres durante o trabalho de parto em um hospital escola
Autor Ritter, Karoline Maturana
Orientador Armellini, Claudia Junqueira
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Curso de Enfermagem.
Assunto Dor do parto
Enfermagem obstétrica
Parto humanizado
Resumo Este estudo teve por objetivo conhecer o uso dos métodos não farmacológicos (MNF) de alívio da dor oferecidos às mulheres durante o trabalho de parto (TP) em um hospital escola. Trata-se de um estudo quantitativo de corte transversal, realizado na Unidade de Internação Obstétrica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, com uma amostra de 385 mulheres. Os principais resultados apontam que a maioria das mulheres do estudo tinha entre 20 a 44 anos (78,2%), com mais de oito anos de estudo (74,5%), 96,6% tiveram pelo menos um acompanhante e destes 73,8% era o próprio companheiro. Quase todas as mulheres realizaram pré-natal, a maioria na rede pública (84,3%) com mais de sete consultas (69,9%). Em relação ao tipo de parto, 75,1% teve parto normal. Verificou-se que 68,2% das mulheres utilizaram alguma medida não farmacológica de alívio da dor durante o TP. Os métodos não farmacológicos (MNF) utilizados pelas parturientes foram banho de aspersão (49,1%), banqueta (3,7%), bola de nascimento (20,8%), cavalinho (0,5%), massagem (34,1%), movimento de balanço do quadril (16,9%) e 7,5% das mulheres disseram fazer uso de outros MNF de alívio da dor. Entre as mulheres que receberam a massagem como MNF, esta foi realizada na maioria das vezes pelo companheiro (69,2%). O motivo mais frequente relatado pelas entrevistadas para a utilização dos MNF foi para o alívio da dor (65,8%). Verificou-se que o tempo de permanência das mulheres e o recebimento de informação sobre formas de alívio da dor durante a internação influenciaram positivamente no uso dos métodos. Concluise que estão sendo utilizados os métodos não farmacológicos nesta instituição indo ao encontro com o que preconiza a OMS.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/69750
Arquivos Descrição Formato
000872981.pdf (2.374Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.