Repositório Digital

A- A A+

Efeitos da estimulação elétrica neuromuscular sobre a inibição muscular, produção de torque, capacidade funcional e qualidade de vida de idosas com osteoartrite de joelho

.

Efeitos da estimulação elétrica neuromuscular sobre a inibição muscular, produção de torque, capacidade funcional e qualidade de vida de idosas com osteoartrite de joelho

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efeitos da estimulação elétrica neuromuscular sobre a inibição muscular, produção de torque, capacidade funcional e qualidade de vida de idosas com osteoartrite de joelho
Autor Fröhlich, Matias
Orientador Vaz, Marco Aurelio
Data 2012
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Educação Física. Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano.
Assunto Idoso
Joelho
Osteoartrite
Torque
Resumo A maior característica de pessoas com osteoartrite (OA) de joelho é a fraqueza muscular causada pela inibição muscular. A estimulação elétrica neuromuscular (EEN) é uma forma alternativa de tratamento. O problema da sua utilização com a população de idosos com OA é a necessidade de engajamento dos idosos em programas de reabilitação em clínicas e hospitais, o que envolveria um custo elevado com sessões de fisioterapia, transporte até o local de tratamento, além das dificuldades associadas ao deslocamento. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito de um programa domiciliar de 12 semanas de EEN sobre a inibição muscular, capacidade de produção de torque, capacidade funcional, nível de atividade física e qualidade de vida de idosas com OA de joelho. Materiais e Métodos: Oito mulheres com 64,1 ± 8 anos foram submetidas a um programa domiciliar de 12 semanas de EEN. Para a avaliação da IM foi utilizada a técnica de interpolação de abalo. Avaliouse o torque isométrico e dinâmico por meio de dianamometria isocinética. Para avaliar a capacidade funcional aplicou-se o teste Time Up-and-Go. A qualidade de vida e o nível de atividade física foram avaliados por meio dos questionários WOMAC e IPAQ, respectivamente. Todos os testes foram realizados antes e imediatamente após as 12 semanas de EEN. Resultados: Observou-se uma diminuição de 55,1% da IM após as 12 semanas de tratamento em comparação com o período pré-treinamento (p=0,028). Não foram observadas mudanças nos valores de torque isométrico nos ângulos avaliados (p=0,857) e tampouco nos torque dinâmicos nas diferentes velocidades angulares (p=0,857). Observou-se uma melhora na capacidade funcional (p=0,008) enquanto não houve diferença no nível de atividade física (p=0,871). Não houve alterações nos domínios dor (p=0,117) e rigidez (p=0,190) enquanto houve melhora na incapacidade física (p=0,049) avaliadas no questionário. Embora não tenha sido possível observar o aumento na capacidade de produção de força de idosas com OA, o programa domiciliar progressivo de fortalecimento por meio de EEN foi capaz de reduzir a IM e a incapacidade física, enquanto aumentou a capacidade funcional.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/71618
Arquivos Descrição Formato
000878789.pdf (958.8Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.