Repositório Digital

A- A A+

Anclaos en Brasil : a presença argentina no Rio Grande do Sul (1966-1989)

.

Anclaos en Brasil : a presença argentina no Rio Grande do Sul (1966-1989)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Anclaos en Brasil : a presença argentina no Rio Grande do Sul (1966-1989)
Autor Fernández, Jorge Christian
Orientador Wasserman, Claudia
Data 2011
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História.
Assunto Argentina
Brasil
Ditadura militar
Exílio
História política
Imigração
Memória política
Repressão política
Rio Grande do Sul
Terrorismo de estado
[en] Dictatorship
[en] Exile
[en] State terrorism
Resumo A Argentina das décadas de 1960 e 1970 foi palco de intensa movimentação social e política, em meio a uma profunda crise estrutural e que já impulsionava cidadãos a emigrar. Frente à crescente insatisfação popular e os movimentos contestatórios, os militares desencadearam uma política repressiva inspirada nas Doutrinas de Segurança Nacional. O golpe de 1976 implantou o Terror de Estado plasmando um clima de medo e insegurança onde o conjunto da população tornava-se potencialmente “subversiva”. O caráter totalizante da repressão disparou uma corrente migratória específica, o exílio político. Contudo, desde 1980, aos efeitos da perseguição política se justapuseram as consequências econômicas e sociais da implantação do modelo econômico neoliberal da ditadura, aumentando o fluxo migratório. Assim, este trabalho focaliza a presença dos argentinos e a conformação de uma comunidade argentina no Rio Grande do Sul, de 1966 a 1989. Tal fenômeno migratório é abordado desde uma perspectiva histórica, contudo sua complexidade e caráter plural exigiu também um olhar multidisciplinar. Para mapear a dinâmica e a abragência destes fluxos de migração, a pesquisa abarcou o coletivo da comunidade argentina, mas procurou evidenciar e enfatizar, dentro desta, a existência de grupos e indivíduos com características diferenciadas e específicas. A partir da análise das fontes documentais foi reconstruída historicamente a presença e as atividades desses argentinos, assim como a complexa relação entre si e com a sociedade de acolhida. No trabalho destaca-se ainda a polifonia das fontes orais e sua riqueza narrativa, em que a rememoração das vivências, experiências e percepções dos atores sociais permitem tanto delinear e/ou diferenciar as identidades subjetivas dos atores, quanto à (re)construção da memória social e histórica desse coletivo étnico-nacional no sul do Brasil.
Abstract The Argentina of the 1960s and 1970s was a scenario of intense social and political movement, in the midst of a deep structural crisis and that it drove citizens to emigrate. Because of the growing popular discontent and anti-establishment movements, the military launched a repressive policy inspired by the Doctrine of National Security. The coup of 1976 established the state terror forging a climate of fear and insecurity where the whole population became potentially "subversive." The character of totalitarian repression triggered a specific migratory flux: the political exile. However, since 1980, the effects of political persecution are juxtaposed with economic and social consequences of the implementation of dictatorship´s neoliberal economic model, also increasing the flow of migration. Thus, this paper focuses on the presence of the Argentine and the formation of an Argentine community in Rio Grande do Sul, from 1966 to 1989. This migration phenomenon is approached from a historical perspective, yet its complexity and plural character also required a multidisciplinary look. To map the dynamics and the spread of these migration flows, the research encompassed the collective community of Argentina, but sought to highlight and emphasize, within this, the existence of groups and individuals with different and specific characteristics. From the analysis of documentary sources we historically reconstructed the presence and activities of these Argentines as well as the complex relationship between themselves and the host society. At work still stands out the polyphony of oral sources and their wealth narrative, in which the recollection of experiences, and perceptions of social actors allow both design and/or differentiate the subjective identities of the actors, as well as to the (re)construction of social and historical memory of this ethno-national collective of southern Brazil.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/71934
Arquivos Descrição Formato
000879939.pdf (7.888Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.