Repositório Digital

A- A A+

Botânica no ensino médio : "bicho de sete cabeças" para professores e alunos?

.

Botânica no ensino médio : "bicho de sete cabeças" para professores e alunos?

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Botânica no ensino médio : "bicho de sete cabeças" para professores e alunos?
Autor Rivas, Marcela Ines Espinoza
Orientador Guerra, Teresinha
Co-orientador Leite, Sergio Luiz de Carvalho
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Biociências. Curso de Ciências Biológicas: Licenciatura.
Assunto Botânica
Educação ambiental
Ensino médio
Resumo Botânica, como outras áreas da ciência, apresenta certa dificuldade em envolver alunos e professores no Ensino Médio. Geralmente não são utilizadas metodologias de ensino que façam com que os discentes tenham maior contato com os vegetais; outras dificuldades são a falta de equipamentos ou a precariedade dos mesmos, e a não utilização de locais adequados para realização das aulas. Este trabalho tem por objetivo analisar as metodologias de ensino em Botânica, a ocorrência da aprendizagem significativa, as percepções ambientais e dados referentes à motivação e interesse dos professores e alunos. Foram aplicados questionários não nominais a alunos concluintes do ensino básico e seus professores, em três escolas da rede pública da cidade de Porto Alegre, RS, para avaliar as noções de Botânica e ambiente. Buscando relacionar com a Teoria da Aprendizagem Significativa, as questões foram organizadas em três categorias: fatores motivacionais, cognitivos e atitudinais. Verificou-se forte grau de correlação entre a motivação dos professores e alunos em relação aos conteúdos de Biologia (r = 0,7616). Também se obteve correlação positiva entre as metodologias empregadas nas aulas de Botânica segundo professores e alunos (r=0,6171). Ambos responderam que o livro didático é o recurso mais utilizado e que aulas práticas e de campo são metodologias que tornariam as aulas mais prazerosas. A aprendizagem mecânica foi verificada nas respostas dos alunos sobre os grupos e estruturas dos vegetais. Esta aprendizagem consiste na memorização de novas informações de maneira arbitrária, não significativa, com pouca ou nenhuma retenção, pois não requer compreensão. Foi visto também que muitos alunos desconhecem que o termo ambiente abrange um campo de interações entre a cultura e a base física da vida neste planeta. Através das análises, constatamos que certas estratégias podem ter maior potencial facilitador da aprendizagem significativa, mas dependendo de como são trabalhadas, podem não promover tal aprendizagem. Todo método de ensino usado dentro de um enfoque do tipo “copiar, memorizar e reproduzir” estimulará a aprendizagem mecânica. Em relação à noção de ambiente, sugerimos que as escolas destaquem que as interações entre humanos e natureza nem sempre são nefastas e que, muitas vezes, podem ser sustentáveis.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/72335
Arquivos Descrição Formato
000873064.pdf (1.418Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.