Repositório Digital

A- A A+

Efeito da temperatura na maturação ovariana e longevidade de Anastrepha fraterculus (Wied.) (Diptera: Tephritidae)

.

Efeito da temperatura na maturação ovariana e longevidade de Anastrepha fraterculus (Wied.) (Diptera: Tephritidae)

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efeito da temperatura na maturação ovariana e longevidade de Anastrepha fraterculus (Wied.) (Diptera: Tephritidae)
Outro título Effect of Temperature on Ovarian Maturation and Longevity of Anastrepha fraterculus (Wied.) (Diptera: Tephritidae)
Autor Taufer, Maristela
Nascimento, Jurema Cruz do
Cruz, Ivana Beatrici Manica da
Oliveira, Alice Kalisz de
Resumo Na Região Sul do Brasil, a incidência de Anastrepha fraterculus (Wied.) flutua durante o ano, sendo que no inverno não são detectados adultos quando se utilizam métodos convencionais de coleta. Com o uso de armadilhas especiais capturaram-se adultos, ainda que, em número muito reduzido. Duas hipóteses são sugeridas para o seu aumento populacional após o inverno, nas regiões produtoras de frutíferas: a) repovoamento da região na primavera por populações circunvizinhas; e b) regulação metabólica diferencial no desenvolvimento de alguns indivíduos que conseguem sobreviver ao período crítico. A segunda hipótese foi testada no presente trabalho, analisando-se a influência de quatro temperaturas (9, 13, 20 e 25ºC) constantes sobre a maturação ovariana e sobre a longevidade das fêmeas dessa espécie. Apenas a 25 e 20ºC ocorreu amadurecimento ovariano. A expectativa de vida foi maior nas temperaturas intermediárias (20 e 13ºC) que nas temperaturas extremas (25 e 9ºC). A relação entre maturação ovariana e longevidade foi observada a 25 e 20ºC, sendo que a 25ºC o amadurecimento ovariano foi mais rápido, mas a expectativa de vida menor. Não se pode, portanto, descartar a hipótese de regulação do desenvolvimento como mecanismo populacional em A. fraterculus para repovoamento da região nos meses subseqüentes ao inverno.
Abstract Anastrepha fraterculus (Wied.) shows a populational fluctuation related to the year season in Southern Brazil. Adults cannot be colected by means of conventional methods of capture in the winter. Even with the use of special traps, a very low number of adults is caught. Two hypothesis are pointed out to explain the increase of the population at spring: a) adults migrate from neighbouring areas with temperature more favourable during winter, and b) some individuals that can survive the critical period develop a differential metabolic regulation. In this paper the second hypothesis was tested by studying the effect of four temperatures (9, 13, 20 and 25ºC) on ovarian maturation and longevity of the females. Only at 25 and 20ºC ovarian maturation has occurred. The life expectancy was larger in the intermediate temperatures (20 and 13ºC) than in the extreme temperatures (25 and 9ºC). The relation between ovarian maturation and longevity was observed at 25 and 20ºC, although at 25ºC the ovarian maturation was faster, but the life expectancy was lower. Therefore, the hypothesis of developmental regulation cannot be discarded as a populational mechanism in A. fraterculus for its populational increase in the months subsequent to the winter.
Contido em Anais da Sociedade Entomológica do Brasil. Jaboticabal, SP. Vol. 29, n. 4 (2000), p. 639-648
Assunto Genética
[en] Expectation of life
[en] Fruit fly
[en] Insecta
[en] Ovary
Origem Nacional
Tipo Artigo de periódico
URI http://hdl.handle.net/10183/76622
Arquivos Descrição Formato
000295703.pdf (87.86Kb) Texto completo (inglês) Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.