Repositório Digital

A- A A+

Assumindo o controle : organizações, práticas e a experiência de si em trabalhadores da redução de danos na região metropolitana de Porto Alegre

.

Assumindo o controle : organizações, práticas e a experiência de si em trabalhadores da redução de danos na região metropolitana de Porto Alegre

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Assumindo o controle : organizações, práticas e a experiência de si em trabalhadores da redução de danos na região metropolitana de Porto Alegre
Autor Rigoni, Rafaela de Quadros
Orientador Nardi, Henrique Caetano
Data 2006
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Psicologia. Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional.
Assunto Abuso de drogas : Prevenção e controle
Políticas públicas
Redução do dano
Subjetividade
Trabalhador : Psicologia social
Trabalho
Resumo O presente estudo tem como objetivo principal problematizar a rede enunciativa e os jogos de verdade que constroem os lugares da Redução de Danos (RD) no campo da saúde coletiva por meio da análise das formas de inserção das ações em RD no Sistema de Saúde, da organização e das práticas cotidianas, assim como dos efeitos deste conjunto de aspectos na produção da subjetividade de seus trabalhadores. Foram analisados 11 programas/ações de RD na RMPA e entrevistados 36 trabalhadores em RD entre coordenadores de programas/ações, redutores de danos, representantes de uma associação nacional de redutores de danos e de um centro de referência estadual em RD. Utilizando a perspectiva genealógica de Michel Foucault, foi possível discutir a diversidade dos atravessamentos discursivos no cotidiano dos trabalhadores em RD; a relação entre a sociedade civil e o Estado; as características da fronteira entre o Público e o Privado; as racionalidades em disputa presentes nos jogos de verdade sobre drogas; as características consideradas importantes para ser um redutor de danos; a divisão entre “técnicos” e redutores de danos; a profissionalização do redutor de danos; o trabalho voluntário e a militância; e, finalmente, a precarização do trabalho, em suas interfaces com todos os atravessamentos anteriores. (Continuação ) A análise pôde identificar, por um lado, a percepção dos trabalhadores de uma falta de suporte político, financeiro e administrativo por parte do Estado e de parte da comunidade; e por outro lado, o reconhecimento por parte do público atendido, que se mostra como motor para a continuidade do trabalho. Discute-se a importância para a RD da constituição de espaços conjuntos de reflexão e diálogo, que poderiam contribuir em muito para a saúde dos trabalhadores e, ainda, para a organização coletiva dos mesmos. Finalmente, ressalta-se a necessidade resgatar o papel de controle social, no sentido de negociar com o Estado diversas formas de apoio na direção da sustentabilidade dos trabalhadores e ações.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/7797
Arquivos Descrição Formato
000557118.pdf (698.4Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.