Repositório Digital

A- A A+

Adoções de espaços públicos de lazer e turismo urbanos : do planejamento à percepção dos usuários

.

Adoções de espaços públicos de lazer e turismo urbanos : do planejamento à percepção dos usuários

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Adoções de espaços públicos de lazer e turismo urbanos : do planejamento à percepção dos usuários
Autor Silva, Fernanda Costa da
Orientador Lay, Maria Cristina Dias
Data 2013
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Arquitetura. Programa de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional.
Assunto Cidades : Porto Alegre (RS)
Espaço público
Lazer
Meio ambiente : Comportamento
Turismo
[en] Environment behaviour studies
[en] Leisure
[en] Public spaces adoption
[en] Tourism
[en] Urban planning
Resumo Esta pesquisa insere-se na área de Planejamento Urbano e Regional e trata da percepção de usuários em relação a espaços públicos urbanos que sirvam concomitantemente ao lazer e ao turismo, em um contexto no qual se verifique parcerias público-privado do tipo Adoção. A pesquisa tem como objetivo contribuir para indicar uma tendência de percepção contemporânea da sociedade civil em relação ao papel do Estado brasileiro, levando-se em conta o crescente número de parcerias estabelecidas entre o Poder Público e o setor privado, para a gestão dos espaços urbanos de uso irrestrito. Em complemento, objetivou-se: averiguar se as parcerias nos espaços públicos urbanos são interpretadas como necessárias ou como impróprias, sob aspectos físicos e simbólicos, no que se refere à qualificação do lazer e do turismo; e verificar se as parcerias causam interferência na avaliação de desempenho dos espaços onde ocorrem, ou se tal avaliação liga-se ao atendimento dos critérios de adequação e uso, tais como os sugeridos pela área de estudos Ambiente-comportamento. Para tanto, realizou-se estudo comparativo em três espaços adotados, localizados na cidade de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, os quais são relevantes tanto no contexto do lazer local, como no contexto turístico. A coleta de dados realizou-se mediante levantamento de arquivo, levantamento físico, aplicação de entrevistas, de mapas mentais e de questionários. Os resultados indicam existir aceitabilidade das intervenções privadas de forma correlata à relevância atribuída a esta prática de investimento no espaço público. Também se verificou que a avaliação de desempenho não está relacionada à aceitabilidade dos investimentos privados, nos espaços em que a pesquisa foi aplicada, embora a percepção dos usuários possa ser influenciada, positiva ou negativamente, em relação a algumas das variáveis de análise do desempenho do espaço, na medida em que elas aludem a investidores privados. De forma geral, constatou-se não ser expressivo o interesse dos usuários pelo modo como os serviços são providos nos espaços públicos de lazer e turismo, contanto que o resultado final seja satisfatório ao propósito desses espaços. Verificou-se que, na percepção dos usuários, o Estado ainda é a esfera sobre a qual incide e sobre a qual deveria incidir a responsabilidade pelo amparo às áreas públicas abertas de lazer e turismo, mesmo que o setor público tenha sido avaliado como pior, comparado ao privado, no que se refere à prestação de serviços urbanos. Ainda assim, é importante destacar a expressiva parcela de respondentes que já sinalizam o setor privado como aquele que de fato investe em espaços públicos, e como aquele que deveria ter a responsabilidade por tais investimentos urbanos, percepção esta que sugere haver uma compreensão, por parte dos usuários, sobre a situação transitória do papel do Estado, indicada pela literatura pertinente ao tema. Os resultados obtidos, além de adicionarem ao debate a avaliação sobre uma modalidade específica de consorciamento urbano, qual seja, a Adoção, abordada à luz da área Ambiente-Comportamento, agregam tratamento teórico a um segmento turístico que ainda necessita ter estudos aprofundados, qual seja, o Turismo Urbano.
Abstract This research integrates the field of studies on Urban and Regional Planning. It focuses the perceptions of the users concerning public urban spaces for both leisure and tourism purposes, in a context where public-private partnership has been laid down. The main objective of the study is to contribute to indicate a trend on the perception of the contemporary civil society towards the role of the Brazilian State. Therefore, the research considers the growing number of partnerships, between the Government and the private sector, for the management of urban spaces for unrestricted use. In addition, this study aims to investigate whether the partnerships in urban public spaces are interpreted as necessary or as inadequate under physical and symbolic aspects, with regard to the improvement of leisure and tourism. It also aims to verify whether the partnerships interfere with the evaluation of the performance of those spaces where the partnerships occur, or if any such evaluation fails to meet the criteria of adequacy and use, such as those suggested by the Environment Behaviour studies. Therefore, we carried out a comparative study on three adopted spaces, located in the city of Porto Alegre, capital of Rio Grande do Sul. Those spaces are relevant both within the local leisure, and the tourism context. Data collection included archives information, physical measurements, interviews, mental maps and questionnaires. The results indicate that the users accept the private interventions in correlation to the importance attached to that kind of investment practice in public spaces. It was also found that the performance evaluation is not related to the acceptability of private investment in the areas where the research was done, although the users' perception can be influenced, positively or negatively, in relation to some variables for the analysis of the space performance, when this variables are allude to private investors. In general, it was found that the interest from users in the way that services are provided in public spaces for leisure and tourism are not significant, as long as the result is satisfactory to the purpose of these spaces. It was found that, for the users, the State is still the responsible for supporting the public spaces which are open for leisure and tourism, even if the public sector has been rated as worse, (compared to the private sector), with regard to the provision of urban services. Still, it is important to highlight that there is a significant proportion of respondents that indicates the private sector as one that actually invests in public spaces, and as one who should have the responsibility for such urban investments. This perception suggests that the users understand the transitional situation of the role of the State, indicated by the literature concerning to the matters in question. The results, apart from adding to the debate on the evaluation of a specific modality of urban partnership, namely Adoption, approached under the area of Environment Behavior studies, aggregate theoretical treatment to a tourism sector that still needs to have in-depth studies, which is the Urban Tourism.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/78276
Arquivos Descrição Formato
000898924.pdf (18.24Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.