Repositório Digital

A- A A+

Avaliação da qualidade dos serviços de atenção primária à saúde acessados por idosos em dois distrito de Porto Alegre, RS

.

Avaliação da qualidade dos serviços de atenção primária à saúde acessados por idosos em dois distrito de Porto Alegre, RS

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Avaliação da qualidade dos serviços de atenção primária à saúde acessados por idosos em dois distrito de Porto Alegre, RS
Autor Dotto, Júlia de Melo
Orientador Hugo, Fernando Neves
Data 2012
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Odontologia. Curso de Odontologia.
Assunto Atenção primária à saúde
[en] Aged
[en] Health services epidemiology
[en] Health services for the aged
[en] Primary health care
Resumo A Política Nacional de Atenção Básica, 2006, elege como centro da atenção à saúde a Atenção Primária à Saúde (APS), a qual tem a Estratégia de Saúde da Família como estratégia prioritária para reorganizar a APS no Brasil. Ao mesmo tempo a Política Nacional da Pessoa Idosa, 2006, defende que a APS deve ser a porta preferencial de entrada dos usuários ao Sistema Único de Saúde (SUS). Sendo assim, a APS deve estar de acordo com as Políticas Nacionais e adequada às necessidades das pessoas idosas. A APS orienta-se pelos atributos essenciais: primeiro contato, longitudinalidade, integralidade e coordenação do cuidado. Objetivo: Avaliar o perfil socioeconômico dos idosos que acessam a APS, a orientação dos serviços de APS e comparar a qualidade da APS entre Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e Unidades de Saúde da Família (USFs) em dois distritos de Porto Alegre, RS. Método: Neste estudo de delineamento transversal, foram entrevistados 402 idosos, selecionados através de uma amostra por conglomerados a partir de sorteio de setores censitários da gerência distrital Partenon/Lomba do Pinheiro. Foram realizadas entrevistas por meio de um questionário sociodemográfico, além do instrumento Primary Care Assessment Tool (PCATool-Brasil). Atributos com escores maiores ou iguais a 6,6, em uma escala de 0 a 10, foram considerados orientados para a APS. Foi realizada análise descritiva das variáveis e a diferença entre as variáveis entre UBSs e USFs foi verificada pelo teste qui-quadrado. O valor para rejeição da hipótese nula foi de 5%. A análise estatística foi realizada através do software SPSS 18.0. Resultados: Dos 402 idosos entrevistados, 69,7% era do sexo feminino, a média de idade foi 69,18 anos, a de anos de estudo foi 4,91 e a de renda foi 1433,84 reais. A maioria (77,9%) utilizava os serviços de UBSs e 22,1% utilizavam USFs. Quanto à qualidade dos serviços, 22,9% estavam dentro do preconizado pelo escore essencial da APS. Analisado a orientação de cada atributo individualmente, tiveram orientação à APS: 54% dos serviços em relação à longitudinalidade, 42,3% em relação ao primeiro contato, 44,5% em relação a coordenação e 23,9% em relação a integralidade. Quando comparadas as UBSs e USFs, houve diferença estatisticamente significativa em relação à idade (≤ 70 anos acessavam 71,9% USFs X 58,3% UBSs) e aos seguintes atributos: primeiro contato (39,7% UBSs X 51,7% USFs com orientação à APS) e longitudinalidade (68,5% USFs X 50% UBSs com orientação para APS). Conclusão: Os resultados evidenciam a necessidade de investimentos para a qualificação da APS, pois, embora a Estratégia de SF seja prioridade na reorganização APS e esteja estruturada sobre seus atributos, demonstrou superioridade apenas nos atributos longitudinalidade e primeiro contato.
Abstract The National Policy of Primary Health Care (PHC) (2006) constituted Primary Care, with Family Health as a priority strategy, as the core of Health Attention in Brazil. At the same time, the National Policy of Health Care of the Aged Persons (2006), advocates that PHC works as the preferential access to the Brazilian Health System. Thus, PHC needs to be in accordance with National Policies and adequate to the needs of older persons. PHC is oriented by the following essential attributes: first contact, longitudinality, comprehensiveness and coordination. Objective: to evaluate the socioeconomic status of older persons who access PHC services, the orientation towards PHC of health care services and to compare the quality of care provided by PHC services organized following the traditional model, Basic Health Care Services, or the Family Care Strategy, Family Care Services, in two sanitary districts of Porto Alegre, RS. Methods: In this cross-sectional study, 402 older persons selected following a conglomerate random sampling strategy from two sanitary districts of Porto Alegre, Partenon and Lomba do Pinheiro, were evaluated. Interviews were carried out using a structured questionnaire assessing socioeconomic information and the Primary Care Assessment Tool (PCATool-Brasil). PHC attributes scores ≥ 6.6 (e.g. In a scale that ranged from 0 to 10) indicated services oriented towards PHC. Descriptive analysis was carried out and differences between the type of services in respect to PHC attributes were tested using chi-square tests. The value set to reject the null hypothesis was p<0.05. The statistical analyses were performed using SPSS 18 software. Results: Approximately 69% of the participants were women, the mean age was 69.18 and the mean years of formal education was 4.91. The mean income was R$1433.84. The majority of the participants accessed Basic Health Care Services (77.9%) while 22.1% accessed Family Care Services. In respect to the quality of care provided, only 22.9% of the services were considered adequate in according with the essential score of PHC. In respect to longitudinality, 54% of the services were deemed adequate; in respect to first contact 42.3%, in respect to coordination 44.5% and in respect to comprehensiveness 23.9%. When Basic Health Care Services and Family Care Services were compared, there were significant differences in respect to age (≤ 70 years of age accessing Basic Services 53.8% vs. 71.9% accessing Family Services), orientation towards first contact (Basic Services 39.7% vs. 51.7% Family Services) and longitudinality (Basic Services 50% vs. 68.5% Family Services). Conclusion: the results evidenced the need of investments in order to qualify PHC because Family Care, although its role in reorienting PHC, was superior to Basic Services only in terms of first contact and longitudinality.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/78972
Arquivos Descrição Formato
000900755.pdf (2.187Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.