Repositório Digital

A- A A+

Dez anos de malhação : e como fica a adolescência

.

Dez anos de malhação : e como fica a adolescência

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Dez anos de malhação : e como fica a adolescência
Autor Menegaz, Camila Vital
Orientador Milnitsky-Sapiro, Clary
Data 2006
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Psicologia. Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional.
Assunto Adolescente
Cultura
Identificação (Psicologia)
Malhação (Telenovela)
Televisão (Comunicação) : Aspectos sociais
Resumo O interesse pela “novelinha” Malhação - exibida pela Rede Globo desde 1995 até o presente ano (dados coletados em 2005) - advém de pesquisa anterior (Menegaz C. e Milnitsky-Sapiro, C., 2000), quando outra mídia para adolescentes foi investigada - a revista Capricho - e constatou-se que a grande popularidade dessas produções entre os jovens deve-se à permanente e intensa possibilidade de identificação dos adolescentes leitores/telespectadores com seus personagens e ídolos. Essa identificação estabelece laços de pertencimento com o “bonzinho/a”, “esperto/a”, “careta” ou “vilã/o”, dependendo da “hora e da vez”; porém, os estereótipos ou “modos de ser”, juntamente com seus respectivos ícones de consumo, permanecem “na telinha” com hora e lugar estáveis no cotidiano dos jovens. Isto é, muda-se o ator e a trama, mas o lugar da cena permanece no imaginário dos jovens que “também querem ser”. Este estudo investigou temas de episódios e personagens do seriado, bem como o conteúdo das narrativas dos adolescentes entrevistados participantes desse estudo, com o objetivo de analisar como se estabelecem os laços com os adolescentes telespectadores, quais são seus efeitos e como estes se mantêm na cultura da descartabilidad A partir dos dados obtidos com as entrevistas e análise de capítulos, investigou-se como a “novelinha” Malhação – que já marcou mais de uma geração de jovens – exerce uma função na cultura dos adolescentes pesquisados no que se refere a ícones de consumo, modelos de ser ou formas de subjetivação de adolescentes pertencentes ao nível sócio econômico (NSE) médio, cujas idades caracterizam o processo adolescente (entre 12 e 17 anos de idade), de ambos os sexos, da cidade de Porto Alegre (RS), conforme o público-alvo segmentado para o seriado. Este estudo propôs, inicialmente, uma breve revisão sobre o conceito de adolescência na contemporaneidade, seguida da análise de temas dos capítulos. Após, foi feita a análise das narrativas adolescentes, das quais emergiram categorias que revelam a função da Malhação na cultura adolescente contemporânea. Neste trabalho, a mídia surge com um papel crucial na promoção, propagação e divulgação desses modelos na contemporaneidade, exercendo uma função que engloba criação, divulgação, promoção e oferta, muito semelhante aos produtos vendidos “entre atos” (nos comerciais), promovendo uma continuidade, em um cenário de massificação / globalização de identidades juvenis e conseqüentes descartabilidades, em detrimento do próximo apelo de consumo e adoção, rapidamente sugerida, de novos ícones de pertencimento. Ícones tais que evocam modelos identificatórios (Menegaz & Milnitsky) e influenciam as relações interpessoais (Giongo, 1998)
Abstract Malhação soap opera is presented by Rede Globo since 1995 untill the current year (data collected in 2005). The interest on the research theme concerns to a previous study (Menegaz, C. e Milnitsky-Sapiro, C., 2000), in which another media for teenagers was investigated – the Capricho magazine. The previous study has shown that its popularity among the youth is explained by the permanent and intensive possibilities of the teenagers/viewers identification with the protagonists and their idols. This identification establishes that “ties of belongness” with the “good boy“ (or good girl), the “backward” or the “villain” depends on the time shift; however, the stereotypes or "ways of being", together with their icons of consumerism stay still and stable on the "telinha" (the monitor) and on the youth daily routine. In other words, it only changes the actor and the story, but the scenery stays in teenagers’ minds, since they also “want to be” (like them). The data gathered with the interviews and the soap opera’s episodes, as well as with the teenagers’ interviews contents, has the purpose to analyze how the ties between this TV show and the teenagers/viewers are established and how their effects occur and are maintained in the culture of the disposable. Starting for the interviews and episodes data, it was investigated how Malhação carries out the culture of the teenagers interviewed in this research. The youth who participated belong to the middle-social class (ages 12 to 17 years old), according to the parameters of the program's "target", male and female, from Porto Alegre (RS). Firstly, this research engages in a short review on the concept of contemporary adolescence, followed by the episodes’ themes analysis. Then, the teenagers’ narratives were analyzed, of which emerged categories that expose the Malhação function in the contemporary culture. In this study, media appears as crucial for promotion, propagation and divulgation of these models nowadays, very similar to products commercialized during the intervals, promoting a continuity on a scenario of youth identity globalization, quickly adopting the next icon of consume and ways to belong to. These icons make reference to models of identification (Menegaz & Milnitsky) and have an important influence on interpersonal relationship (Giongo, 1998).
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/8017
Arquivos Descrição Formato
000565037.pdf (403.5Kb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.