Repositório Digital

A- A A+

As fronteiras discursivas em Um Castelo no Pampa

.

As fronteiras discursivas em Um Castelo no Pampa

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título As fronteiras discursivas em Um Castelo no Pampa
Autor Barreto, Eneida Marilia Weigert Menna
Orientador Tutikian, Jane Fraga
Data 2006
Nível Doutorado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Programa de Pós-Graduação em Letras.
Assunto Brasil, Luiz Antonio de Assis, 1945-
Critica e interpretacao
Literatura comparada
Literatura e História
Literatura sul-rio-grandense
Metaficção
Mitologia
Polifonia na literatura
[en] Carnival
[en] Dialogism
[en] Fantastic and grotesque
[en] History-literature relation
[en] Intertextuality
[en] Irony
[en] Mythology
[en] Polyphony
Resumo Este trabalho traz a análise da obra Um Castelo no Pampa, de Luiz Antonio de Assis Brasil, examinando as relações entre Literatura, História e Mito. Para tanto, direcionados pelos sinais míticos presentes na obra, investigamos, em um primeiro momento, o significado desses aspectos. Disso resultou a identificação dos mitos de origem. A seguir, empreendemos a pesquisa da História do Rio Grande do Sul, o que nos fez comprovar que a obra em análise faz a releitura crítica dos modelos consagrados pela historiografia positivista. Como as questões da História, na narrativa, sinalizam para a realização de uma escrita que tem como forma a metaficção historiográfica, nos termos de que nos fala Linda Hutcheon (Poética do Pós-Modernismo,1991), averiguamos sua íntima relação com a redação pósmoderna. Contemplamos o aspecto da historicidade pelo viés crítico, estabelecendo elos entre a Sociologia literária, a Crítica literária e a Literatura Comparada. Mostramos, enfim, como o autor imbricou fatos e personagens históricas do Rio Grande do Sul com sua narrativa ficcional para inverter as nossas expectativas e para que dialoguemos com o passado, que se apresenta fragmentado, em perspectiva com um tempo que ainda será construído, ou seja, um porvir mais real, menos fantasioso e, por isso mesmo, mais factível.
Abstract This paper analyzes the book Um Castelo no Pampa, written by Luiz Antonio de Assis Brasil. It examines the relations among Literature, History and Myth. In the beginning, directed by the mythic signals present in the book, we analyzed the meaning of these aspects. And the result was the identification of of the myths of origin. Next we researched the history of Rio Grande do Sul. And this made us prove that the book rereads in a critical way the positivist historiography consacrated models. As History´s issues, the narrative signals to the writing in a metafiction historiographic way, as spoken by Linda Hutcheon (A Poetics of Postmodernism, 1991). And we also verified its intimate relation with post-modern writing. We contemplated the historicity issue by the critical bias, estabilishing links among Literary Sociology, Literary Criticism and Compared Literature. We concluded that the writer imbricated historical facts and historical characters of Rio Grande do Sul State in his fictional narrative to invert our expectancies. And also to make us dialogue with the past, which presents itself in a fragmented way, in a perspective that is yet to come and will be traced, more realistic, less imaginative, but more possible.
Tipo Tese
URI http://hdl.handle.net/10183/8649
Arquivos Descrição Formato
000585052.pdf (1.006Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.