Repositório Digital

A- A A+

"Nóis sêmo umas almôndega" : os Almôndegas e a gênese da moderna canção urbana porto-alegrense

.

"Nóis sêmo umas almôndega" : os Almôndegas e a gênese da moderna canção urbana porto-alegrense

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título "Nóis sêmo umas almôndega" : os Almôndegas e a gênese da moderna canção urbana porto-alegrense
Autor Silva, Arthur de Faria
Orientador Fischer, Luís Augusto
Data 2012
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Programa de Pós-Graduação em Letras.
Assunto Almôndegas (Grupo Musical).
Análise musical
Canção popular
Literatura comparada
Literatura e Música
Musica gaucha
Música popular brasileira
Resumo O presente estudo propõe-se a definir a gênese da moderna canção porto- alegrense, sugerindo o grupo Almôndegas (de Kleiton e Kledir Ramil, Quico Castro Neves, Pery Souza, João Baptista, Gilnei Silveira e Zé Flávio) e o ano de 1975 como o momento em que, usando conceitos candidinianos, as manifestações musicais até então ocorridas nesse processo se tornam inequivocamente um sistema. Analisando tanto os quatro discos lançados pelo grupo - entre 1975 e 1978 – quanto os trabalhos de grupos e artistas que chamaremos de manifestações para- almondegueanas, a tentativa é de estabelecer o conceito de “moderna canção porto- alegrense”: uma música que sintetize em forma e conteúdo o diferencial que, ecoando schwarzianas ideias fora do lugar, aja sobre o material de variadas tradições num resultado conceitualmente original - uma síntese entre elementos musicais regionais específicos do Rio Grande do Sul e sonoridades universais (rock, pop, jazz, mpb, tropicália etc). Além disso, também é tema a forma como se gerou esse sistema - com artistas criando, indústria cultural gerando produtos e pessoas consumindo estes produtos. Que conjuntura fomentou o desenvolvimento dessa geração de criadores com uma meta estética definida: sem virar às costas a uma visão regional, soar sintonizado com o mundo.
Abstract The study at hand intends to define the moment of birth of the modern song of Porto Alegre, suggesting both the Almôndegas group (formed by the musicians Kleiton and Kledir Ramil, Quico Castro Neves, Pery Souza, João Baptista, Gilnei Silveira and Zé Flávio) and the year 1975 as the moment in which the musical manifestations that had taken place until then in this process unequivocally became a system, to use a concept taken from Antonio Candido. Through the analysis not only of the four records issued by the group between 1975 and 1978 but also of the work of other groups and artists – which will be called para-almondegueanas manifestations – we will try and establish the concept of “modern song of Porto Alegre”: a kind of music able to synthesize, both in form and in content, the differential that will act upon musical materials from varied traditions, resulting in something conceptually original – to echo Roberto Schwarz’s concept of “Misplaced Ideas”. In short, a kind of music that is a synthesis between specific regional musical elements from the state of Rio Grande do Sul and more universal sounds (rock, pop, jazz, mpb, tropicália, etc). Another topic of this study is to analyse how this musical system took form, with artists inventing, the culture industry generating products and people consuming these products. In other words, to see what kind of social juncture fostered the development of this generation of creative artists, which had a definite aesthetic purpose: to sound in tune with the world without turning their backs on the regional vision.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/88357
Arquivos Descrição Formato
000910889.pdf (3.992Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.