Repositório Digital

A- A A+

A arte efêmera: a musealização de obras de Arte Contemporânea institucionalizadas

.

A arte efêmera: a musealização de obras de Arte Contemporânea institucionalizadas

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título A arte efêmera: a musealização de obras de Arte Contemporânea institucionalizadas
Autor Campos, Fernanda Porto
Orientador Faria, Ana Carolina Gelmini de
Co-orientador Cuty, Jeniffer Alves
Data 2013
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação. Curso de Museologia: Bacharelado.
Assunto Arte contemporânea
Musealização
[es] Arte contemporáneo
[es] Arte efímero
[es] Musealización
[es] Museología
Resumo Propõe uma reflexão acerca dos processos de musealização de obras de Arte Contemporânea com caráter Efêmero que façam parte de um acervo museológico. Apresenta um breve histórico da Arte Contemporânea e de sua inserção nas instituições museológicas. Delineia as diretrizes sobre musealização de acervos com a finalidade de ponderar os apontamentos da área. Expõe o cotidiano museal de duas instituições gaúchas, uma privada e uma pública, frente ao desafio de atuar com a Arte Efêmera. Repensa as práticas de dois profissionais de museus - a responsável pela Reserva Técnica na Fundação Vera Chaves Barcellos, Ana Paula Meura e o Diretor no Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul, André Venzon - diante deste tipo de acervo. Conclui observando a necessidade do encontro dialógico entre profissionais de diversas áreas a fim de contemplar a complexidade do manejo com a especificidade dos acervos de Arte Contemporânea Efêmeros em instituições Museológicas.
Resumen Propone una reflexión sobre los procesos de musealización de obras de arte contemporáneo de carácter efímero que forman parte de la colección del museo. Presenta una breve historia del arte contemporáneo y su inclusión en las instituciones museísticas. Describe las directrices acerca de la musealización para el fin de examinar los apuntamientos de esta área. Expone el cotidiano de dos museos gauchos, una institución pública y otra privada, que enfrentan al reto de trabajar con el arte efímero. Repiensa las prácticas de dos profesionales de los museos - Ana Paula Meura: responsable por la Reserva Técnica de la Fundación Vera Chaves Barcellos, y André Venzon: director del Museu de Arte Contemporanea de Rio Grande do Sul – delante de este tipo de colección. Concluye señalando la necesidad de un encuentro dialógico entre profesionales de diferentes ámbitos con el fin de hacer frente a la complejidad de la gestión con la especificidad de las colecciones efímeras de Arte Contemporáneo de instituciones museísticas.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/88685
Arquivos Descrição Formato
000913602.pdf (1.487Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.