Repositório Digital

A- A A+

Efeito da intensidade de pastejo sobre as emissões de N2O do solo em sistema de integração lavoura-pecuária

.

Efeito da intensidade de pastejo sobre as emissões de N2O do solo em sistema de integração lavoura-pecuária

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Efeito da intensidade de pastejo sobre as emissões de N2O do solo em sistema de integração lavoura-pecuária
Outro título Effect of grazing intensity on nitrous oxide emissions from soil in integrated crop-livestock system
Autor Pfeifer, Fernando Machado
Orientador Carvalho, Paulo Cesar de Faccio
Data 2013
Nível Mestrado
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Agronomia. Programa de Pós-Graduação em Zootecnia.
Assunto Efeito estufa
Lavoura
Pastejo
Pecuária
Soja
Resumo Objetivou-se avaliar a influência da intensidade de pastejo na emissão de gases de efeito estufa (GEE) oriundos do solo em sistema de produção integrado. O presente trabalho é parte integrante de um protocolo experimental de longa duração (11 anos) em integração lavoura pecuária. A condução do estudo foi realizada na Fazenda do Espinilho, do Grupo Cerro Coroado, localizada no município de São Miguel das Missões, região do planalto médio do Rio Grande do Sul (29º 03’ 10” S; 53º 50’ 44” W; 465 m de altitude). A área experimental possui 22 hectares divididos em 14 potreiros, sendo que em dois destes não há presença dos animais (sem pastejo/SP). Os potreiros foram divididos em 3 blocos ao acaso, nos quais constavam os tratamentos com as seguintes alturas de manejo do pasto: 10, 20, 30 e 40 cm. O protocolo consiste na avaliação do desempenho dos animais, das culturas vegetais e do solo num sistema integrado de aveia preta + azevém, no inverno e soja, no verão. O período de avaliações teve início em maio de 2011 seguindo até novembro de 2012, contemplando dois ciclos de pastagem e um ciclo de soja. Na fase pecuária, nos dois ciclos avaliados, foram utilizados bovinos com idade aproximada de 10 meses, cruzas Angus e com peso médio inicial de 200 kg. A entrada dos animais ocorreu no início de julho, permanecendo em pastejo por cerca de 120 dias. A fase de produção de grãos ocorreu com a semeadura da soja na segunda semana de novembro; com posterior colheita em abril do ano seguinte. Para as coletas de GEE foram utilizadas câmaras metálicas encaixadas sobre bases, igualmente metálicas, posicionadas a 5 cm de profundidade da superfície do solo. As câmaras têm isolamento do ar externo em função de uma canaleta, da base onde é inserida, preenchida com água. Foram colocadas 3 câmaras em cada potreiro, das quais eram coletadas 3 amostras em horários diferentes, com intervalos de 30 minutos; perfazendo um total de nove coletas em cada potreiro. Além das coletas de GEE, foram medidas as temperaturas internas da câmara e do solo. Posteriormente, as amostras foram analisadas por cromatografia gasosa, fornecendo os valores de emissão de cada tratamento (altura de manejo do pasto). Os resultados mostram que não houve influência das intensidades de pastejo nas emissões de GEE; atingindo valores de 0,44; 0,33; 0,29; 0,39 e 0,26 kg N-N2O ha-1 para os tratamentos 10, 20, 30, 40 e SP, respectivamente.
Abstract This study aimed to evaluate the influence of animal grazing intensity in greenhouse gases (GHG) emission arising from the soil in an integrated production system. This work is part of long duration the experimental protocol (11 years) in integrated crop-livestock system. The experiment was conducted in Espinilho Farm, located in the municipality of São Miguel das Missões, the plateau region of the Middle Rio Grande do Sul. The experimental area has 22 ha divided into 14 paddocks, and in two there is no presence of these animals (ungrazed / NG). The paddocks (12) were divided into 3 blocks submitted to the following treatments with different sward heights: 10, 20, 30 and 40 cm. The protocol consisted in evaluations of animals in pasture with oats + ryegrass in winter and soybean in the summer. In this experiment, the evaluation period occurs between May 2011 and November 2012, covering two cycles of pasture, but only one in soybean. The pasture phase, in both cycles, evaluated there were used Angus crossbred cattle aged approximately 10 months, with an average initial weight of 200 kg. The entry of the animals occurred in early July, remaining grazing for about 120 days. The soybean was sowed in the second week of November, with subsequent harvest in April next year. For GHG samples were used chambers fitted on metal bases, also of metal, positioned at 5 cm from the soil surface. The cameras have insulation outside air due to a channel, where the base is inserted, filled with water. Three cameras were placed in each paddock, of which three samples were collected at different times, with intervals of 30 minutes, for a total of nine samples by paddock. In addition to collections of GHG, internal measures of temperature of the chamber and soil were performed. Subsequently, the samples were analyzed by gas chromatography, providing emission values for each treatment (sward management). The results show that there was no influence of grazing intensities on GHG emissions, reaching values of 0.44, 0.33, 0.29, 0.39 and 0.26 kg N2O-N ha-1 for treatments 10, 20, 30, 40 and NG, respectively.
Tipo Dissertação
URI http://hdl.handle.net/10183/89691
Arquivos Descrição Formato
000914096.pdf (2.850Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.