Repositório Digital

A- A A+

Influência da ativação superficial e envelhecimento dos revestimentos de nanocerâmico com posterior tanino e de cromo em substratos de zinco

.

Influência da ativação superficial e envelhecimento dos revestimentos de nanocerâmico com posterior tanino e de cromo em substratos de zinco

Mostrar registro completo

Estatísticas

Título Influência da ativação superficial e envelhecimento dos revestimentos de nanocerâmico com posterior tanino e de cromo em substratos de zinco
Autor Dei Agnoli, Raquel
Orientador Ferreira, Jane Zoppas
Co-orientador Costa, Josiane Soares
Data 2014
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Engenharia. Curso de Engenharia de Materiais.
Assunto Engenharia de materiais
Resumo Com o aumento das preocupações ambientais, industrias como as de tratamentos superficiais vem buscando alternativas para seus produtos, visando uma diminuição ou eliminação do seu impacto. Revestimentos protetores de conversão a base de fosfatos e cromo hexavalente são os mais utilizados pois além de conferirem excelente proteção contra a corrosão, são facilmente operados e são processos de baixo custo. No entanto, o fósforo é apontado como principal causa da eutrofização da água e o cromo hexavalente é tóxico e cancerígeno. Uma alternativa que vem sendo estudada e até mesmo utilizada em escala industrial é o revestimento nanocerâmico, que, além de ser proveniente de uma solução ecologicamente correta, não é necessária a troca do banho, somente sua reposição, diminuindo assim a quantidade de efluentes gerados. Já foi provado que uma combinação de revestimentos nanocerâmicos e revestimentos taninos, além de resultar em um revestimento colorido em aço zincado, conferem uma resistência à corrosão maior do que quando utilizados separadamente. Este trabalho foi dividido em duas partes, a primeira foi a averiguação dos comportamentos de três substratos, aço zincado em meio ácido, aço zincado em meio alcaline e aço galvanizado quando ativados em ácido e revestidos com nanocerâmico e posterior tanino, já que o revestimento utilizado mostrou-­‐se efetivo para amostras de aço zincado não ativadas previamente. Na segunda parte, o estudo foi focado no envelhecimento do revestimento, tendo em vista que com o tempo este pode perder ou melhorar suas propriedades. Os desempenhos nas duas etapas foram comparadas com os desempenhos de amostras revestidas com cromatização trivalente e cromatização hexavalente. Foram realizados ensaios de impedância eletroquímica, ensaios em câmara úmida e imagens de MEV/EDS. Os resultados obtidos mostram que revestimentos de nanocerâmico e posterior tanino aplicados em aço galvanizado são efetivos, quando comparado com revestimentos de cromatização trivalente. Este mesmo revestimento em amostras de aço zincado tanto em meio ácido quanto em meio alcalino sem previa ativação mostraram-­‐se mais efetivos do que em amostras ativadas. Para o envelhecimento constatou-­‐se que os revestimentos nanocerâmico com posterior tanino e de cromatização trivalente tem suas propriedades melhoradas, no entanto para a cromatização hexavalente o envelhecimento acarreta em redução das propriedades do revestimento.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/103811
Arquivos Descrição Formato
000935930.pdf (21.55Mb) Texto completo Adobe PDF Visualizar/abrir

Este item está licenciado na Creative Commons License

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(ões)


Mostrar registro completo

Percorrer



  • O autor é titular dos direitos autorais dos documentos disponíveis neste repositório e é vedada, nos termos da lei, a comercialização de qualquer espécie sem sua autorização prévia.
    Projeto gráfico elaborado pelo Caixola - Clube de Criação Fabico/UFRGS Powered by DSpace software, Version 1.8.1.